18 de abril de 2014

As Musas de Rob Hefferan

Hoje é Sexta-Feira da Paixão, então vamos respeitar.
Nada de "Musa da Semana", pelo menos nos critérios clássicos do blog.
Mas encontramos uma saída através da arte hiper-realista (acho que isso não tem mais hífen) do inglês Rob Hefferan.
Ele nasceu em Manchester e tem 45 anos.
Este tipo de obra, também chamada de "realismo fotográfico", só pode ser realizada por aquele tipo de pessoa que traz do berço um dom especial. Neste caso de reproduzir com riqueza de detalhes a figura humana.
Percebam que ele trabalha de maneira clássica: nada de computadores ou airbrush.
Suas realizações são feitas com pincéis à moda antiga em óleo sobre tela e acrílico sobre tela.
Também clássica é a sua inspiração. Nada de fotografias ou imaginação. Pinta com modelos vivos que posam o tempo necessário até a conclusão do trabalho.
Como tem bom gosto, sua arte figurativa é preferencialmente de mulheres.
Selecionamos algumas de suas belas e impressionantes realizações.
Notem que, apesar do hiperealismo, ele usa uma estratégia para que percebamos claramente que aquilo não é uma fotografia e sim uma pintura. Não me perguntem como ele consegue isso.










Para a Sexta-Feira da Paixão

O CD acima eu importei lá pelo início dos anos 2000 (é óbvio que nunca foi lançado aqui, infelizmente).
Originalmente foi lançado por uma gravadora alemã em 1998. A minha edição é da gravadora independente americana "Hearts of Space", dentro de sua séria "Sacred Treasures".
É um que está entre aquelas dezenas de CDs (e vinis) que comprei e ficaram guardados muito tempo. Em outras palavras, pouco ouvi ao longo desses anos.
Ainda com pouco tempo livre (acho que isso só vai melhorar quando me aposentar), estou tentando resgatar aos poucos estas pérolas.
No caso deste, ótimo oportunidade é nesta Sexta-Feira da Paixão.
Trata-se de uma versão atualizada da obra coral do compositor italiano Gregorio Allegri, composta por volta de 1630, baseada no Salmo 50 (em algumas versões é o 51), também chamado "Miserere mei, Deus"(em latim: "Tende misericórdia de mim, Deus"). Na época a peça era cantada de forma restrita à Capela Sistina, acesso apenas ao Papa nas madrugadas da Semana Santa, quando ele se ajoelhava e fazia as orações à luz de velas na atmosfera solene da igreja.
Esta versão contém a obra-prima de Allegri acrescentada de trechos compostos pelo maestro Vladimir Ivanoff que revigora o antigo clássico.
Foi gravado em uma catedral alemã pelo Chorus Onasbrück Boys (Metamorphoses), com acréscimo de um Cornetto (por Ian Harrison), que é uma espécie de trompete muito usado na Europa Medieval.
Vou parar para ouvi-lo hoje e recomendo, por isso acrescentei o mesmo na íntegra, abaixo. Mas é "parar" mesmo. De olhos fechados. Só assim se consegue entrar na atmosfera sagrada, celestial, de misericórdia e renovação da alma proposta por Allegri e complementada por Ivanoff. Afinal trata-se de uma oração. Aliás pode-se fazer a sua própria oração ao som do Cornetto e Coral. Ou apenas respirar pausadamente, meditando.
Com uma ressalva: evite se não se achar no "bioritmo" e pensamento adequados ao que escrevi acima. Pois se não estiver assim vai achar a obra lenta, assustadora, devastadora, triste, horrível, etc.
Por outro lado, se conseguir, a sexta-feira santa estará positivamente garantida para a sua mente, corpo e espírito.
Bom feriado!

17 de abril de 2014

Anjo Gabriel: Gabo


Foi com tristeza que recebi a notícia da morte do colombiano Gabriel García Márquez.
Quem escreveu "Cem Anos de Solidão", "O Outono do Patriarca", "Crônica de uma Morte Anunciada", "O Amor nos Tempos do Cólera", etc., merece de verdade o título de "imortal" (vejam a lista da Academia Brasileira de Letras e entenderão) além do Nobel que o fez ser consagrado no mundo todo.
"Gabo" (seu carinhoso apelido) era o que se pode chamar de "gênio carismático da literatura". Talvez um dos últimos. Sem ser acadêmico. Apenas um contador de histórias. Um dos maiores de todos os tempos.
Colocou a América Latina no mapa-mundi da cultura.
Curiosamente, vendo na TV a cobertura de sua morte, me admirei da não citação de seu ativismo político. De esquerda. É isso! Até nisso a grande mídia tem que manipular, via omissão, as informações para atender as suas, digamos, "convicções".
Eles devem ficar muito chateados de Gabriel García Márquez ter sido amigo de Fidel Castro e outros comunistas e socialistas de renome.
E ficam os telespectadores sem saber desta importante informação sobre a vida do escritor.
Rest in Peace, Gabo.

Humor de Quinta (2): Transporte Coletivo (na sala de aula)


Humor de Quinta: O Túmulo

"Este é o túmulo mais visitado em Utah-USA por causa do texto na lápide!
Mr. Rusell J. Larsen, de Logan, Utah, morreu sem saber que ganharia um concurso do túmulo mais visitado.
Em sua lápide está escrito cinco regras para o homem ter uma vida feliz:

1. É importante ter uma mulher que ajude em casa, cozinhe de tempos em tempos, limpe a casa e tenha um trabalho;

2. É importante ter uma mulher que te faça rir;

3. É importante ter uma mulher em que possa confiar e não minta;

4. É importante ter uma mulher que seja boa na cama e que goste de estar contigo;

5. É muito, mas muito importante que estas quatro mulheres nunca se conheçam, caso contrário podes terminar morto como eu."

16 de abril de 2014

Pesquisa Carta Capital / Vox Populi

Entre 6 e 8 de abril.
Desesperai reaças. Dilma na dianteira, sempre.

Eleições 2014: CPI contra a corrupção? É o pré-sal, estúpido!

"A cerrada campanha com que a mídia partidarizada vem sangrando a Petrobrás nas últimas semanas segue incólume. Além das disputas eleitorais que movem a oposição, sabemos que o arsenal de ataques contra a Petrobrás tem por trás interesses muito maiores: acabar com o regime de partilha que fez da estatal a operadora única do maior campo de petróleo da atualidade. “É o pré-sal, estúpido!”, como diria o marqueteiro de Bill Clinton, que nas eleições norte-americanas de 1992, resumiu a vitória dos democratas com uma frase ácida que tornou-se célebre em todo o mundo: “É a economia, estúpido!”.

A última edição da revista Veja não deixa dúvidas sobre as reais intenções da campanha que tenta desmoralizar a gestão estatal da Petrobrás, visando sua privatização. “Como o PT está afundando a Petrobras” é a matéria de capa da  revista,  cuja linha editorial é claramente tucana. Detalhe: o presidente da editora Abril, Fábio Barbosa, foi conselheiro da Petrobrás entre 2003 e 2011 e um dos que mais defendeu na época a compra da refinaria de Pasadena.

O senador Aécio Neves (PSDB/MG), o  principal articulador da campanha contra a Petrobrás, também reafirmou aos empresários paulistanos suas intenções em relação à empresa: “Acredito que as concessões são a melhor forma de atrair investimentos”, declarou no dia 31 de março durante um almoço no Grupo de Líderes Empresariais.

Provável candidato tucano à Presidência da República, Aécio já havia defendido o regime de concessão para o pré-sal em outubro do ano passado, após o leilão de Libra. “A Petrobras não terá condições, sei lá, sequer de participar com os 40% devidos desse leilão de agora, como poderá pensar em participar daqui a dois anos, se fosse necessário, estratégico para o Brasil fazer outros leilões?”, discursou na época no Plenário do Senado.

FHC é outro tucano que voltou a defender publicamente as privatizações do seu governo. Em artigo recente, ele conclama a oposição a “tomar à unha o pião dos escândalos da Petrobras”, “reafirmando a urgência de mudar os critérios de governança das estatais”.

É por essas e outras que precisamos alertar a sociedade e o povo brasileiro para as reais intenções dos setores conservadores que atacam a Petrobrás, inclusive por dentro da empresa, tentando retomar a agenda neoliberal que nos anos 90 sucateou e privatizou parte considerável da estatal.  A Petrobrás é e continuará sendo estratégica para o desenvolvimento do país. Não podemos permitir que sangrem um dos maiores patrimônios do povo brasileiro. Defender a Petrobrás é defender o Brasil!"
Fonte: FUP/CUT

15 de abril de 2014

Baía de Halong

Taí um lugar que gostaria estar hoje com a família.
Um daqueles paraísos escondidos na Terra.
É lááááááá no Vietnã.
Música de Leonard Tossi.
Video de Harry Mateman.


Na metade de abril

Chegamos hoje à metade do mês de abril e finalmente as características outonais começam a aparecer.
A variação entre nuvens esparsas, céu de um azul profundo, chuvas repentinas, queda de temperatura abrupta ou de forma suave, sol com luminosidade ideal e as cores da natureza dão um tom especial a esta época que costuma perdurar até junho.
Procurei achar uma trilha sonora que refletisse de alguma forma este momento e achei através do trabalho de um desconhecido músico lá do norte europeu.
Oliver Scheffner é um compositor e músico alemão, nascido na cidade Saarbrücken - de porte médio - fronteira sudoeste com a França.
Ele tem 41 anos e suas influências musicais são variadas, obviamente com mais referência aos pioneiros da classic eletronic music alemã dos anos 1970.
Pode-se classificá-la de New Age, Chillout, Lounge, Ambient Music, etc. Mas são apenas rótulos.
Com suaves ritmos, sem dispensar a melodia e os experimentos, a música instrumental de Oliver é daquele tipo que agrada a qualquer bom ouvinte.
Sempre suave e relaxante, sem ser necessariamente lenta.
Um presentinho do blog nesta terça-feira, 15 de abril. Semana Santa. Feriadão chegando.

"Reflexões da Luz do Sol"


"A Magia  de Uma Noite de Lua Cheia"


Cenário outonal de Saarbrucken - Fronteira Alemanha/França

14 de abril de 2014

O Tijolaço e O Globo

Como O Globo pode ajudar a manter o Tijolaço
14 de abril de 2014 | 16:20 Autor: Fernando Brito
"Soube que o jornal O Globo está procurando uma associação entre este blog e publicidade oficial ou financiamento por algum órgão público, empresa ou político.
Então, vou facilitar a vida do colega escalado para fazer o “serviço”.
O Tijolaço  sempre foi registrado em meu nome.
Já tentei fazer algumas parcerias para editá-lo, infelizmente, mal-sucedidas.
Ele é uma microempresa – Blog Tijolaço Comunicação Ltda ME , CNPJ 19.438.674/0001-09 – que recebe e paga exclusivamente através da conta corrente 50629-X, agência 1578-4, do Banco do Brasil.
Dela, somos sócios eu e Miguel do Rosário. Apenas, ninguém mais.
Disponho aqui, e usarei, do extrato bancário da conta que foi, finalmente, aberta em fevereiro, depois de muita burocracia, onde se verá que as únicas entradas de dinheiro em nossa conta são provenientes de depósitos modestos de nossos leitores (à exceção de dois,  feitos por pessoas que tiveram a generosidade de depositar R$ 500 e R$ 1 mil). Todos entre R$ 10 e R$ 200, além de transferências do Pay Pal (assinatura por cartão de crédito) e R$ 4.600 provenientes de anúncios do Google, além de um único frila que fiz para uma empresa privada, referente à pesquisa de dados na Internet.
Nunca houve qualquer outra conta bancária, pagamento ou recebimento do Tijolaço.
Teria todo o direito, de, com quase quatro milhões de pageviews no mês passado, receber publicidade. Mas anunciantes, públicos ou privados, se retraem e tem medo de veicular nos blogs e ficarem “mal-vistos”.
Também usarei, se necessário, meu  próprio extrato bancário, demonstrando que “comi”, no ano passado, o que havia economizado nos tempos em que tive cargo público e, muito embora engravatado, vivi modestamente, almoçando no “a quilo” Sertão e Mar, ali na Vila Planalto, em Brasília, que talvez algum de seus repórteres em Brasília possa conhecer dos tempos de vida dura.
Se o jornal estiver interessado em documentos comprometedores ou em alguma relação profissional que tive no passado, terei prazer em exibir os contracheques de pagamento feitos a mim por O Globo em 1978 – a data é esta, mesmo.
Basta me mandar um e-mail e marco dia e hora, em local público, para mostrar todos os documentos, desde que o jornal os publique.
E eu também os publicarei aqui.
Não apenas não recebi para participar da entrevista com Lula como ainda paguei a passagem do meu bolso, que anda apertadíssimo.
Se for uma matéria simplesmente jornalística, ótimo, a casa agradece.
Sobre minhas posições políticas, estão no blog, públicas, publicadas e assinadas.
Sobre  quem financia o blog, agora também estão.
Não há nada o que esconder.
Mas  não vou ser ingênuo de não entender que, mais importante do que a intenção do repórter é o desejo do jornal.
Agora, se O Globol pensa em se vingar do Tijolaço porque eu revelei – depois de 20 anos – ter redigido o texto do direito de resposta de Leonel Brizola na Rede Globo, meu desejo ardente é o  que publique qualquer insinuação sobre nós.
Será, afinal, uma forma de ajudar a financiar este blog, porque será movido, imediatamente, um processo contra a empresa.
Aqui não tem ninguém medroso, que dobre os joelhos quando ouve o nome da Globo.
Tive vinte e dois anos de escola com Leonel Brizola, não vou desaprender agora.

Se algum repórter me procurar, será muito bem atendido, mas as informações já estão públicas."
Fonte: Tijolaço

Dilma defende a Petrobras

Dilma critica "campanha negativa" e diz que nada vai destruir Petrobras
"Em discurso em Ipojuca (PE) nesta segunda-feira (14), a presidente Dilma Rousseff  defendeu a Petrobras das denúncias, criticou a "campanha negativa" que, segundo ela, estaria sendo feita contra a estatal, e afirmou que atos pontuais não vão destruir a empresa.
"Vocês [trabalhadores da Petrobras] são de fato vencedores. Fazem parte de uma empresa vencedora. Nada, nem ninguém, vai conseguir destruir isso no nosso país. Nós sabemos que é a maior e mais bem sucedida desse país. Esse título deve-se ao apoio ao povo brasileiro, que sempre lutou e se orgulha da Petrobras", disse.
A Petrobras é alvo de denúncias e de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que pode ser instalada no Congresso ainda nesta semana.
Dilma afirmou ainda que a empresa já é investigada por órgãos como a CGU (Controladoria Geral da União) e Polícia Federal e defendeu uma apuração rigorosa de "malfeitos". "Mais que uma empresa, a Petrobras é um símbolo da luta do nosso povo, da afirmação do nosso país, e um dos maiores patrimônios de cada um dos 200 milhões de brasileiros. Por isso, a Petrobras jamais vai se confundir com qualquer malfeito, ato corrupção ou qualquer ação indevida, que quaisquer pessoas, das mais às menos graduadas. Nós estamos com determinação aqui nos comprometendo a cada dia que passar vai ser apurado com o máximo de rigor."
Em crítica velada à oposição, Dilma diz que há pessoas "trabalhando contra" a estatal. "Não podemos permitir, como brasileiros, que amam essa  empresa, que defendem esse país, que se utilizem de ações individuais e pontuais, mesmo que que grave, que se destrua a nossa empresa ou suje a imagem. Ou confundir quem trabalha a favor e quem trabalha contra."
A presidente ainda disse que os governos petistas, dela e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aumentaram os índices de produtividade da empresa. "Está errado dizer que a Petrobras está perdendo valor comercial. Manipulam dados, distorcem fatos e desconhecem a realidade do mercado mundial de petróleo. Em 2003, ela valia R$ 15,5 bilhões e hoje o valor chega a R$ 98 bilhões. Nós multiplicamos por seis o lucro líquido, que passou de R$ 8,1 bilhões para R$ 23,6 bilhões", assegurou. A presidente não citou quem estaria manipulando os dados.
Ao encerrar o discurso, Dilma criticou a "campanha negativa" sobre a estatal. "Como presidenta, mas sobretudo como brasileira, defenderei em qualquer circunstâncias e com todas as minhas forças a Petrobras. Vou combater todo tipo de malfeito, tráfico de influência, corrupção, ou ilícito de qualquer espécie. Mas não ouvirei calada a campanha negativa que  quer, por proveito político, ferir a imagem dessa empresa. A Petrobras é maior que qualquer um de nós. Ela tem o tamanho do Brasil", disse, ao fim do discurso, sendo aplaudida pelos operários, que cantaram o coro "olê, olê, olê, ola. Dilma, Dilma".
Dilma ainda defendeu a presidente de Petrobras, Graça Foster, que deve ser ouvida no Senado amanhã. "No início do governo Lula, eu ministra e ela, secretária nacional de Petroleo e Gás, ela comigo iniciou esse projeto de conteúdo local. Deu muito de seu esforço para que se tornasse realidade. Cumprimento ela de forma toda especial", afirmou.
Em seu discurso no mesmo evento Foster também saiu em defesa da estatal disse aos trabalhadores de Ipojuca que precisa da "energia" deles. "Acreditamos na Petrobras, acreditamos na Petrobras mil vezes, e certamente amamos o nosso país. Nesse momento, preciso muito da energia de todos vocês", afirmou ao encerrar o discurso."
Fonte: UOL


Dilma: Não ouvirei calada a campanha negativa daqueles que por proveito político querem ferir a imagem da Petrobras

A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (14), em Ipojuca (PE), que não permitirá que se utilizem ações individuais e pontuais, mesmo que graves, para tentar destruir a imagem da Petrobras. Ao batizar o navio Henrique Dias, no Estaleiro Atlântico Sul, a presidenta disse que não ouvirá calada a campanha negativa daqueles que, por proveito político, não hesitam em ferir a imagem da empresa.

    “Não podemos permitir, como brasileiros que amam e defendem esse país, que se utilizem ações individuais e pontuais, mesmo que graves, para tentar destruir a imagem de nossa maior empresa (…) A Petrobras jamais vai se confundir com qualquer malfeito, com corrupção ou qualquer ação indevida de quaisquer pessoas. Nós, com determinação, estamos aqui nos comprometendo a cada dia que passa que o que tiver de ser apurado vai ser apurado com o máximo de rigor”.

Dilma lembrou que a Petrobras resistiu a tentativas de sucateamento e privatização e que graças ao pré-sal e ao modelo de partilha, apoiado pelo Congresso Nacional, o Brasil terá maior controle sobre os recursos do petróleo, que serão investidos prioritariamente na educação dos brasileiros.

    “A Petrobras resistiu às tentativas de desvirtuá-la, de reduzi-la e privatizá-la. Mas as tentativas de sucateamento deixaram marcas profundas, mas temporárias, não apenas na Petrobras, mas na cadeia do petróleo, que sustentava empresas nacionais, inclusive a indústria naval. O favorecimento, a importação de navios plataforma, a falta de planejamento e a ausência de política de conteúdo nacional trouxeram problemas aos fornecedores nacionais. A redução dos investimentos em geral, e em especial em tecnologia, a baixa valorização do capital humano corroeram essa grande empresa, mas ela teve força para resistir”.

Dilma: Meu governo e o do Lula reergueram a Petrobras

A presidenta Dilma Rousseff afirmou, durante a cerimônia de viagem inaugural do navio Dragão do Mar, nesta segunda-feira (14), que estão erradas as avaliações de que a Petrobras está perdendo valor de mercado. Dilma lembrou que, em 2003, a empresa valia R$ 15,5 bilhões e que, hoje, mesmo com toda crise internacional, o valor de mercado chega a R$ 98 bilhões.

    “Manipulam os dados, distorcem análises, desconhecem deliberadamente a realidade do mercado mundial de petróleo para transformar eventuais problemas conjunturais de mercado em irreversíveis. (…) Ao contrário do passado, a Petrobras é hoje a empresa que mais investe no Brasil. Foram US$ 306 bilhões, de 2003 a 2013. Sendo que o ano passado chegou a US$ 48 bilhões. É importante lembrar que em 2002, foram investidos apenas US$ 6,6 bilhões”, detalhou.

A ampliação dos investimentos foi multiplicada por seis. Para Dilma, com a reconstituição do programa de investimentos da empresa, foi possível a descoberta dos megacampos do pré-sal, que mudou o cenário petrolífero e vai ajudar a melhorar a qualidade da educação, com os royalties e os 50% do fundo social investidos no setor. A presidenta também lembrou que o lucro líquido da empresa também mudou de patamar, passando de R$ 8 bilhões para R$ 23,6 bilhões.

    “Sabemos que o fortalecimento da Petrobrás revolucionou a indústria naval brasileira. Já dissemos o quanto os empregos aumentaram. A previsão pra 2017, é que passemos dos quase 80 mil de hoje para 100 mil empregos gerados na indústria de fornecedores. E, entre 2014 e 2015, geraremos mais 17 mil empregos. E podemos também medir a Petrobras pela sua força, tanto em terra quanto no mar. São 133 plataformas, 41 sondas de perfuração e 361 barcos de apoio. Muito mais virão”, disse.
Fonte: Blog do Planalto

Enquanto isso, na Ucrânia...

Mais uma análise alternativa das que a mídia ocidental oferece e que buscamos reproduzir aqui desde o início dos problemas na Ucrânia.

A VEZ DE DONETSK
"Manifestantes que ocupam, há dias, instalações públicas em Donetsk, na Ucrânia, proclamaram, unilateralmente, uma “República Popular”, na província em que se fala russo. E falam em convocar um referendo para sua anexação à Rússia, para o próximo dia 11 de maio, nos moldes do que foi feito na Crimeia no mês passado.

As autoridades policiais não resistiram nem tentaram conter os manifestantes.

Em outra cidade, Lugansk, manifestantes favoráveis à Rússia ocuparam a sede dos órgãos de segurança, e fizeram o chefe de polícia - que também não resistiu - libertar dezenas de prisioneiros favoráveis a Moscou que estavam detidos há alguns dias.

Em Kharkov, segunda maior cidade ucraniana, e centro industrial do país, houve enfrentamento entre habitantes de língua russa, que ocuparam a sede do governo local, e manifestantes fiéis ao golpe desfechado contra o Presidente Yanukovitch em março.

Embora as novas “autoridades” ucranianas estejam acusando o serviço secreto russo pelos tumultos, a verdade é que o apoio ao governo golpista é cada vez menor, e boa parte do território ucraniano é ocupado por habitantes de origem russa, que se recusam a se aproximar do Ocidente e se sentem ameaçados pelos golpistas de extrema direita que estão no poder em Kiev.

Eles viram que, ao contrário do que ocorreu na “libertação“ do Iraque, do Egito, da Líbia, do Afeganistão, pela OTAN, onde morreram - e continuam perdendo a vida - centenas de milhares de pessoas, a “russianização” da Crimeia foi feita em poucos dias, e quase sem violência.

O fato é que, assim como fez, em muitos outros lugares, supostamente em nome da “democracia”, o Ocidente desestruturou completamente uma Nação que se encontrava institucionalmente unificada, funcionava razoavelmente dentro da lei, com um Presidente eleito diretamente pela população, e aguardava pacificamente as próximas eleições, porque não queria que a Ucrânia “caísse” sob influência de Moscou. 


Como demonstra a situação em Donestk e em Kharkov, a influência russa na Ucrânia, do ponto de vista político, econômico, cultural, já existia, é muito maior do que se pensa na Europa e nos EUA, e permeia vastas regiões e milhões de habitantes, que se sentem russos.

A Rússia está em seus corações e mentes. Eles vivem, como russos, há séculos. E caso não haja um processo efetivo de federalização, é mais fácil que a Ucrânia se divida - a partir da fragmentação irresponsavelmente iniciada em Maidan - do que eles virem a se inclinar para o lado contrário, o dos golpistas neofascistas que tomaram o poder de assalto, em Kiev, há poucas semanas."
Por Mauro Santayana / Jornal do Brasil

Leiam também:
BBC: Para manter unidade, Ucrânia oferece mais poder ao leste pró-Rússia

A Necessidade de Respeitar a Petrobras e a Nação

RESPEITEM A PETROBRÁS

por Haroldo Lima

"A Polícia Federal fez busca na sede da Petrobrás. A PF é subordinada ao Ministério da Justiça. Significa que o Ministério autorizou a invasão da Petrobrás?

O acontecido é grave. Porque, encontrando-se ou não pistas de dinheiro desviado; localizando-se ou não gatunos que lá estejam acoitados; o fato maior, muito maior, é que está em curso um processo de desmoralização da Petrobrás.

Claro que este processo se esconde atrás da cruzada contra desfalques, contra doleiros e outras tramoias. E claro que os larápios que estejam incrustrados onde estiverem precisam ser identificados e defenestrados. Mas há métodos e métodos.

Há métodos pelos quais, com inteligência, disciplina e firmeza de comando, quadrilhas podem ser localizadas e desbaratadas, não se contaminando as instituições onde elas estariam agindo. E há métodos em que, a partir da ação de falsários, toda uma ofensiva pretensamente moralizadora é feita para se estourar esquemas corruptos, ao tempo em que se destrói a reputação e a autoestima da instituição onde eles operavam. É o que parece estar sendo feito com a Petrobrás. As consequências para a Nação brasileira são graves.

Estava eu como diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) quando, em 2006, o pré-sal foi descoberto. Não se tinha uma ideia clara de seu tamanho, mas se sabia que era espantosamente grande. O governo da época, sob a direção do presidente Lula, teve a clarividência de promover uma revisão na legislação existente e mudar o marco regulatório para a província recém-descoberta. Na Comissão Interministerial de oito membros, criada para formular um novo projeto de marco, foi unânime a ideia de introduzir o contrato de partilha da produção, para aquela região.

Mais ainda, percebemos que, pelos investimentos financeiros necessários e preparo tecnológico adequado, só uma empresa brasileira poderia participar da exploração e produção no pré-sal, a Petrobrás. Para que o Brasil tivesse aí um papel decisivo, decidiu-se propor ao Congresso, e este aprovou, que o operador único na nova área seria a Petrobrás.

A maior parte do pré-sal ainda estava em mãos da União, em áreas administradas pela ANP, que localizou então dois pontos cruciais e autorizou a Petrobrás a perfurá-los. Descobriram-se as acumulações de Franco e Libra, ambas gigantescas.

Deliberou-se ceder à Petrobrás a exploração de Franco, sem licitação, sem bônus de assinatura e pagando royalties de 10%. E decidiu-se levar Libra a uma licitação, cobrando-se R$ 15 bilhões de bônus, fixando-se royalties de 15% e obrigando ao consórcio vencedor ter a Petrobrás como operadora e a estatal PPSA como gestora do projeto. Quatro grandes empresas internacionais aceitaram consorciar-se em torno da Petrobrás. O Brasil teve uma grande vitória.

A exploração do pré-sal tem ainda muito por fazer. Se se desmoraliza a Petrobrás, se seu conceito se dissolve, se seu valor de mercado cai, fica difícil ela cumprir o papel que a legislação lhe reservou no novo marco da partilha. A desmoralização da empresa pode suscitar movimentos antinacionais sérios, dos quais dois são mais evidentes: o primeiro, o da privatização da empresa, por ela ter perdido valor e prestígio; o segundo, o da mudança do marco regulatório do pré-sal, no suposto de que a Petrobrás não teria mais condições de cumprir o papel que a ela ali estava reservado, inclusive o de liderar outras grandes empresas em grandes empreendimentos.

Em qualquer das duas hipóteses o golpe nos interesses nacionais seria enorme. E isto é inaceitável.  

Combater a corrupção é dever de todo governo sério. Desmoralizar a Petrobrás é jogar contra o Brasil, independente do pretexto.

É estranho que no país onde os juros são dos maiores do mundo, em que os bancos faturam uma enormidade, nunca a PF se aventurou a invadir a sede de um grande banco estrangeiro ou brasileiro.

É preciso saber quem autorizou a invasão da Petrobrás, ou se ninguém autorizou. "


Haroldo Lima – foi diretor-geral da Agência
Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. 
Fonte: Conversa Afiada

13 de abril de 2014

Lasciva

Já conhecia o interessante trabalho desta moça através de seu blog.
Vi este depoimento ontem no DCM e resolvi postar aqui.
Nadando (nua) contra a corrente da mesmice.


Não se ofenda com a minha nudez, não quero agredir
"Desde pequena, vejo seios e bundas à mostra em todos os lugares por onde passo. A cada esquina, tem uma banca de jornal com seus cartazes nada modestos. Nos filmes, nas novelas. Nem preciso falar do carnaval. Se alguém ligou a tevê semana passada, deve ter visto alguma mulata sambando totalmente nua.

Nem sempre os closes no rego das dançarinas de programas de auditório me parecem belos. E confesso torcer o nariz para muitas das fotos de genitálias ampliadas que vejo diariamente no Twitter. Mesmo assim, ainda me encanto com o desenho de um seio em riste, de um bumbum bem desenhado. A harmonia das formas naturais do ser humano atrai. A nudez é uma forma artística. Corpos despidos são talvez a maior fonte de inspiração dos artistas plásticos, desde os primórdios da história da arte.

Não falta também quem rejeite o corpo à mostra. Quem aponte como se fosse prova de falta de virtude. Dá para entender. Um discurso religioso pregado durante séculos. Na Idade Média, a nudez foi tão castigada, que puro era quem sequer tomava banho. Até tocar o próprio corpo era recriminado – mesmo que apenas por higiene. Acontece que já passou da hora de parar de enxergar o corpo humano como algo demoníaco. E deixar de lado esse preconceito de que exibir suas formas publicamente é privilégio de mulher burra. A beleza ofusca demais atributos. Mas se olharmos atentamente, podemos ver intelectos invejáveis em muitas das beldades que já vimos em ensaios sensuais.

E mesmo assim, diante de tanta informação explícita espalhada pelo mundo, recebo frequentemente mensagens de quem parece se incomodar por eu mostrar meu corpo. A crítica que mais leio é que publico fotos nuas para aparecer, chamar atenção. De fato, atrai olhares – para o bem e para o mal.

Confesso. Já usei meu corpo como meio de divulgação do meu trabalho na internet. Sem que vissem o que eu faço, nada disso aqui faria muito sentido. Talvez muito do conteúdo que produzi sequer existisse. Como o texto que você lê agora. Também já postei fotos de que não gostava tanto. E depois me arrependi. Estou empenhada nesse aprendizado. De como mostrar o que tenho de belo para as lentes da câmera. E provocar o espectador.

Ao exibir meu corpo, estou sempre em busca de resultados estéticos – dentro das condições ali viáveis. Minhas formas não são grandiosas, nem excepcionais. Tenho um monte de defeitos físicos. Aprendi a superá-los com o tempo. De tão traumatizada que eu era com meu corpo, de tanto bullying que sofri na adolescência, cheguei a achar que nenhum homem iria me querer. Que nunca ia ter um namorado legal. Balela.

Continuo do meu jeito. Nem tão sexy, nem tão gostosa. Mesmo assim, gosto do que sou. Ao agir com naturalidade, sem esconder a realidade do meu corpo, quero de alguma maneira mostrar às outras garotas que não é preciso ter peitão-bundão-coxão para ser atraente. Que pessoas fora do padrão midiático, sem muita produção ou tantos retoques de photoshop podem também se sentir bem diante das câmeras.

Inicialmente, com medo de parecer conteúdo pornográfico, optei por cobrir os seios, usar ao menos uma calcinha sempre que tirava fotos. Com o tempo, passei a questionar esses limites do que é o nu artístico. O que diferencia erotismo e pornografia? Se há ou não pelos pubianos à mostra? Garanto que nenhuma equação leva a essa solução exata. Conteúdos explícitos podem também ser muito eróticos. Ou não.

E muito obrigada. Elogios costumam servir de incentivo. Porém não suprem qualquer carência ou vontade de aparecer. A verdadeira satisfação – e talvez o maior desafio – é em me sentir atraída pela minha própria imagem. Desejar a mim mesma, quase como uma viagem narcisística. Mesmo com toda a minha autocrítica.

Continuarei eternamente incompreendida em meu erotismo. Mas quero ainda explorar muito as potencialidades do meu corpo. Da minha imagem.

Não se ofenda. Essa sou apenas eu."

Sobre o autor: Lasciva nunca foi capaz de reprimir sua libido. Então decidiu explorar os aspectos mais íntimos da sua sexualidade e registrar tudo o que a excita em forma de palavras. Elas estão em lasciva.blog.br. Para acompanhar suas perversões diárias, siga-a no Twitter: @_lasciva.

Fonte: Diário do Centro do Mundo

Dia Internacional do Beijo

Hoje é 13 de abril, Dia Internacional do Beijo.
É verdade.
Tem um dia internacional dedicado ao beijo.
Nada mais justo.
Beijar é sublime. Quem não gosta?
Mas vem cá, já notaram que ultimamente estão aparecendo 'dias internacionais' para tudo?
Ou é impressão minha?
O fato é que isso já está enchendo meu saco. Aliás tenho ficado de saco cheio muito facilmente ultimamente.
Será que estou realmente ficando velho?
Mas tem velhinhos tão simpáticos!
Será que tem um Dia Internacional do Saco Cheio?
Seguem dez curiosidades sobre o beijo.
Na verdade são vinte, mas como estou de saco cheio só coloquei dez.
Se quiserem ver as outras, acessem aqui.
Beijos a todos. Não. Só para as mulheres. Com todo respeito.

20 (10!) coisas que você não sabe sobre esta deliciosa prática
Camila Gomes"Um beijo sempre cai bem. Seja de um familiar, de uma criança ou, o melhor, de um casal apaixonado. É um momento de carinho que qualquer um adora e se derrete. Por isso, a prática ganhou até um dia comemorativo: 13 de abril. É o dia especial para dar um beijo bem gostoso em todo mundo que você gosta.

Para comemorar a data, confira 20 curiosidades que o site norte-americano Discover Magazine levantou sobre este delicioso hábito, com fatos históricos, pesquisas de comportamento e até dicas para conquistar a pessoa amada."


"1 - Os lábios humanos são diferentes dos lábios de todos os outros animais porque são invertidos, o que possibilita que façamos beicinhos (e alguns façam beições).
2 - Porém, nós não somos a única espécie que gosta de beijos. Macacos também encostam seus lábios para demonstrar afeição ou reconciliação.
3 - Os cientistas não têm certeza porque os humanos se beijam, mas alguns acreditam que a resposta está na experiência da alimentação, criada pelos nossos ancestrais. Por receberem comida semimastigada dos pais quando pequenos, crianças aprenderam a associar o encostar dos lábios a um ato de amor.
4 - Outra possibilidade também estudada pelos cientistas para a origem do beijo está no olfato. Cheirar o rosto de uma pessoa amada serviu por muito tempo como forma de identificação em diversas culturas ao redor do mundo, da Nova Zelândia ao Alaska. Com o tempo, roçar os lábios se tornou um acompanhante bem interessante.
5 - Como beijar ainda não é um costume universal, alguns especialistas acreditam que o ato seja um comportamento aprendido, passado de pais para filhos.
6 -Os militares romanos introduziram o beijo em muitas culturas que não tinham esse hábito, durante suas conquistas.
7 - Estar próximo para beijar ajuda o nariz a avaliar o perfume do outro. Um estudo feito na Suíça reportou que mulheres preferem o cheiro de homens que têm um código de imunidade diferente do delas. A mistura de genes é uma forma de ter filhos com um sistema imunológico mais forte. Pois é, não dá para fugir do instinto!
8 - As primeiras evidências literárias sobre beijos vêm de textos sânscritos do nordeste da Índia! Escrito de mil a dois mil anos atrás, o texto menciona amantes encostando suas bocas.
9 - A dopamina é um neurotransmissor associado às sensações de desejo e recompensa, que responde à novas experiências. Isso explica porque beijar alguém novo pode ser tão especial. Em algumas pessoas, uma dose de dopamina pode causar perda de apetite e insônia, sintomas muitas vezes associados à paixão.
10 - A dopamina é produzida na área central do cérebro, mesma região afetada pelo vício em drogas. Entendeu porque existem beijos viciantes?"

Plim plim: dois pesos, duas medidas (de novo...)

Do Muda Mais

Plim plim: dois pesos, duas medidas

"O equilíbrio é um princípio importante para o bom jornalismo. Especialmente quando está baseado em critérios objetivos e pode, de alguma forma, ser verificado. Junto à busca pela verdade e à pluralidade de opiniões, ele forja os princípios da atividade jornalística moderna.

Se você tem a impressão de que este equilíbrio é muitas vezes colocado de lado na cobertura dos casos mais rumorosos da política nacional, você está certo. O Muda Mais fez os cálculos do noticiário do Jornal Nacional sobre as denúncias de formação de cartel e pagamento de propinas no Metrô de São Paulo e os comparou com a cobertura da compra da refinaria de Pasadena pela Petrobrás. Resultado: a média de exposição diária do caso Petrobrás é nada menos do que 13 vezes maior do que o caso Alstom/Metrô de SP.

Entre 7 de novembro de 2013 e 25 de março último, ou seja, em 130 edições do JN, as denúncias e investigações sobre corrupção no Metrô de SP ocuparam cerca de 77 minutos do telejornal. Foram divulgadas 23 matérias. A mais longa teve 8 minutos e 15 segundos. Cinco delas duraram menos de 1 minuto. Em todas, o assunto era bem ponderado. Todos os acusados tinham direito de resposta para rebater as acusações. E todos, claro, refutaram. As expressões usadas nos textos das reportagem também são bem suaves. Para o Jornal Nacional, não há quadrilha, mas um “suposto cartel”. E não há acusados, mas suspeitos.

Em comparação, desde que o caso Petrobras/Pasadena eclodiu, há 11 dias, o Jornal Nacional dedicou a ele 64,5 minutos de cobertura. Foram 10 matérias, três delas com pelo menos 10 minutos cada. Nenhuma com menos de 3 minutos. E em todas não há suspeitos, mas acusados. E não há supostas questões contratuais no processo de aquisição da refinaria, mas irregularidades na compra da refinaria.

Vale a pena destrinchar os dados relativos às exposições dos dois casos no telejornal – que vai ao ar de segunda a sábado. Desde que surgiram as primeiras denúncias do caso do Metrô de São Paulo, os telespectadores ouviram “boa noite” da bancada do JN cerca de 130 vezes. Durante cinco meses completos, o tema foi abordado em 23 edições. Por outro lado, em apenas 11 dias – ou seja, 10 edições, excluindo-se o domingo – o caso Petrobras foi abordado em todas as oportunidades, ininterruptamente.

Portanto, se dividirmos o tempo total de exposição de cada um dos temas pelo número de edições que foram ao ar do telejornal desde a primeira aparição deles no noticiário, teremos algo curioso. Para o Metrô de São Paulo, nas 130 edições, houve 77 minutos de cobertura, ou seja, uma média de exposição diária de 35 segundos. Já o caso Petrobras chegou ao horário nobre da TV Globo por 64,5 minutos nas 10 edições, o equivalente a uma média de 6 minutos e 30 segundos de exposição diária. Os cálculos apontam para uma cobertura, proporcionalmente, 13 vezes maior do caso Petobrás em comparação ao do Metrô.

É compreensível que, em 130 edições, a temática acabe por se diluir e, portanto, apareça menos frequentemente ao longo do tempo. Chama a atenção, no entanto, que em apenas 10 edições, o caso Petrobras já tenha um tempo de exposição tão próximo ao caso do Metrô.

O tratamento desproporcional dado pelo Jornal Nacional a temas ligados ao PSDB e ao PT, ou, se você preferir, ao governo federal e ao governo do estado de São Paulo, não é propriamente uma novidade. Mas é sempre bom ir para a prancheta e colocar os pingos nos is. Se “ouvir os dois lados” é um princípio do bom jornalismo, que nome se dá quando eles são tratados com dois pesos e duas medidas?"

12 de abril de 2014

Denise Emmer: "Alouette"

Acho que já postei esta música aqui, mas como a estava ouvindo esses dias, resolvi colocá-la de novo.
Com tradução.
Melodicamente bem resolvida, ótima interpretação da Denise Emmer (que é brasileira, filha de Dias Gomes e Janete Clair), o estilo chanson française... e a gostosa sonoridade da língua francesa lambendo os ouvidos a fazem muito agradável.
Anos 1970. 
Tinha que ser...
Fez parte da trilha sonora internacional da novela "Pai Herói", de Janete Clair, exibida em 1979.
Ia esquecendo: Denise é também escritora, poeta, violoncelista, compositora, etc.



Matéria da Semana: "O Amor Pode Ter Cura" (?!)

Bem, faltava essa.
Confesso que não comprei a revista nem li a reportagem, mas o título da matéria é bem, digamos, surpreendente.
Ao que parece trata-se de uma "cura" à base de remédios.
Deve se tratar de casos patológicos. Nestas situações algumas pessoas podem precisar mesmo de ajuda.
Muitas se tornam um perigo para si mesmo e para os outros.
Pode ser também mais um daqueles 'papos-furados' científicos para incautos e crédulos que depois não dão em nada.
Até porque o sentimento é tão característico que suas diferenças são iguais ao número de pessoas que habitam este planeta.
Mas fica a dica.
Para os que se interessarem, corram até a banca mais próxima.
Ou acessem este link (mais fácil, né?!).

Refinaria de Pasadena: Ótimo negócio para a Petrobras

Já notaram que a imprensa tirou Pasadena do foco?
Já deu o que tinha de dar.
A verdade começou a aparecer graças sobretudo a blogueiros independentes como o Miguel do Rosário.
O problema é que eles não voltam ao assunto: passam para outro para atacar a empresa e ponto.
Em jogo, eleições 2014, privatização e entrega de nossas riquezas a preço de banana.
Coisa típica de FHC e Cia Ltda, que no caso é o PIG.

Reuters confirma Cafezinho: Pasadena foi um ótimo negócio
Por Miguel do Rosário
"Uma matéria da Reuters, assinada por Jeb Blount, com base em opiniões de especialistas em petróleo de Nova York, Chicago e São Paulo, corrobora nossa argumentação, de que a compra da refinaria de Pasadena foi um ótimo negócio.

Diz o repórter:  ”a refinaria de Pasadena pode ter sido o melhor negócio com refinaria que a empresa já fez em três décadas”.

Logo em seguida, o repórter explica que, na verdade, a Petrobrás não pagou um preço excessivo.

A matéria não é “chapa branca”. É feita por um repórter americano ou inglês com gana de falar mal da Petrobrás. Só que, após entrevistar especialistas em pelo menos três praças comerciais importantes, ele conclui que a Petrobrás pode ter mil outros problemas, mas não é Pasadena.

O foco da matéria é falar mal da refinaria Abreu Lima, que a Petrobrás está construindo em Pernambuco, comparando seus custos com a de outras refinarias no mundo. Só que o repórter mesmo admite que é difícil comparar refinarias. Uma coisa é construir uma refinaria numa área já dotada de logística e infra-estrutura. Outra é montar uma no meio do nada.

O repórter observa, além disso, que investigações sobre Abreu Lima podem trazer mais prejuízos a Eduardo Campos, candidato de oposição, do que a Dilma Rousseff.

Blount também observa que o preço de US$ 1,2 bilhão pago por Pasadena superestima o valor da refinaria porque inclui quase US$ 600 milhões em ativos não ligados à refinaria, como estoques, custos bancários e o braço comercial da Astra.

O preço pago pela Petrobrás pela refinaria em si, segundo a matéria, com base na avaliação de uma firma de Chicago, a Good and Margolin, foi US$ 486 milhões.

Entretanto, mesmo considerando os US$ 1,2 bilhão, trata-se de um valor que Pasadena poderá pagar em apenas cinco anos de operação, estima o jornalista, em virtude do fantástico momento vivido pelas refinarias norte-americanas, principalmente as situadas no Texas.

O novo boom de produção de petróleo de xisto nos EUA reduziu os custos da matéria-prima, e ao mesmo tempo o preço dos derivados está alto, por causa da recuperação econômica do país, de maneira que as margens de lucro das refinarias nunca foram tão altas.

Espero que os deputados e senadores que cometem o equívoco de não ler o Cafezinho, ou se lêem, de não acreditarem no que escrevo, apesar de trazer sempre a fonte, ao menos leiam a Reuters."

11 de abril de 2014

Internet: Rompendo o Cerco Midiático


As redes sociais rompem o cerco midiático

Acostumada a ditar regras ou modismos e a conduzir a vida política e cultural do país a mídia tradicional depois de "reinar" absoluta por décadas encontra hoje um contraponto exemplar: a internet

Por Alberto Cantalice
"Longe de controles econômicos ou paradigmas a internet chegou para tirar o bolor e a manipulação constante do noticiário, notadamente, da chamada grande imprensa e seus articulistas que se consideram os “donos da verdade”.

A aprovação do Marco Civil da Internet coloca o Brasil na vanguarda e libera as redes das amarras do mercado. A vitória da neutralidade da rede na Câmara impediu de a mesma se transformar em uma mera TV a cabo que geraria o aumento dos custos para os usuários e dificultaria o acesso das camadas populares aos benefícios da internet.

O engajamento de diversos setores da sociedade e o firme propósito da Presidenta Dilma em garantir o Marco Civil resultaram em uma votação quase unanime na Câmara dos Deputados, fato relevante para assunto de tamanha envergadura.

As esquerdas por terem tido sua voz omitida nos grandes veículos e por terem sofrido uma longa e sistemática perseguição pela ditadura do pensamento único devem estimular o uso das redes sociais. Se já existissem as ferramentas de rede social a escandalosa manipulação perpetrada pela Rede Globo de Televisão do debate entre Lula e Collor em 89 teria sido desmascarada em tempo real. A farsa do ataque da bolinha de papel engendrada pelo então candidato José Serra em 2010 com o auxílio das redes sociais pode ser denunciado e desmascarado.

Competir com o poderio econômico dos meios tradicionais de comunicação é dificílimo. Estabelecidos há décadas e bafejados pelos poderes financeiros nacionais e internacionais, os grandes meios de comunicação construíram no Brasil verdadeiros oligopólios midiáticos de gestão familiar. Essa condição monopolística não encontra paralelo em nenhuma grande democracia do mundo moderno. Como pode um único grupo de comunicação possuir Tvs abertas e fechadas, rádios, jornais, revistas, editoras e até gravadoras? Nos Estados Unidos, Meca do capitalismo mundial, as leis vigentes não permitem tal situação.

Aqui, fortalecidos pela subalternidade de variados setores políticos, eles podem isso e muito mais. Tem sido difícil garantir o Direito de Resposta contra ataques desferidos pela mídia, objetivando arruinar a reputação de pessoas físicas e jurídicas. Eles acobertam-se com o manto da “liberdade de expressão” que só vale para um lado: o lado deles!

O Partido dos Trabalhadores já percebeu o dinamismo das novas ferramentas de comunicação. O PT, por ser um partido de militantes e ativistas, muitos com o “couro curtido”, pela longa disputa política, vem mostrando a face e agindo à luz do dia nas redes.

A contribuição da valorosa e combativa militância do PT, divulgando as ações dos governos populares e, ao mesmo tempo, combatendo as mentiras e calúnias que se apresentam no dia a dia tem sido um diferencial.

Diferentemente dos partidos políticos, cuja principal função é a disputa eleitoral, o PT mantém e amplia seus vínculos com os movimentos sociais e com as pautas que visam o aprofundamento da democracia no Brasil. O caminho a se percorrer para que sejam ampliadas as conquistas da imensa maioria de brasileiras e brasileiros que vive à mercê da pausterização do noticiário é longo.

Disputar a pauta de mudanças é tarefa nossa. Quanto mais ativos e participantes formos, mais condições teremos de alcançar os setores da sociedade brasileira que se encontram do lado de fora das discussões políticas, seja por desconhecimento, pelo afastamento ou por desencanto provocado pelo denuncismo, sem fim, dos meios de comunicação tradicionais.

Submetidos ao bombardeio reiterado da imprensa comercial e da pusilanimidade de certos intelectuais que são meros porta-vozes do antiprogressismo, grande parcela da nossa população não tem acesso a outro tipo de opinião.

Por tudo isso apoiar a mídia alternativa também é uma obrigação das forças populares. O simples fato de amplificar as vozes no panorama da comunicação já é de grande valia. Mesmo quando um blogueiro ou outro não pense como nós.

Há espaço de sobra para uma atuação firme que vise apresentar novidades. A mesmice é a razão da força do status quo. Sejamos diferentes esse é o caminho do futuro."

*Alberto Cantalice é Vice Presidente do PT

Fonte: Linha Direta

Musa da Semana: Fani Pacheco

Convenhamos que o BBB é um programa horrível.
Mas ele nos deu coisas boas, reconheçamos.
Fani é uma delas.
Mês que vem ela vai estar nas bancas pela terceira vez.
E vai ser mais um sucesso de vendas.
Atendendo a pedidos, nos antecipamos.













CPIs manjadas

"Questionado sobre a atual conjuntura da Petrobras, o ex-presidente Lula afirmou que em todos os anos eleitorais a oposição tenta emplacar uma CPI para investigar a estatal. “Eu penso que são pessoas que trabalham para enfraquecer a Petrobras. Se ela hoje vale US$ 98 bilhões, no governo FHC ela valia US$ 15 bilhões.”"
Eu complementaria que, no desespero, tenta-se de tudo.
Seria oportuno que a oposição (pautada pela grande mídia) tivesse o mesmo interesse em desvendar os insondáveis mistérios que rondam o comando do PSDB em São Paulo nos últimos 20 anos. Fatos e dados para isso não faltam.
E o JN continua fazendo um balaio de gatos visando confundir e não esclarecer: parágrafos soltos e números incompletos são montados para defender as ideias que a eles interessam.
Nunca se conformaram com o fato do petróleo ser do Brasil.
Vejam a íntegra do show de entrevista de Lula aos blogueiros.
Eu e o Felipe não estávamos lá, mas tudo bem.

9 de abril de 2014

Estradas Incríveis

Já é tradição aqui no blog vez por outra postarmos fotos de locais interessantes e 'fora dos padrões'.
No caso do tema 'estradas', já devemos ter feito uns dois ou três posts diferentes.
Me lembro que em um deles citei que gostava especialmente das capas dos primeiro álbuns do Pat Metheny Group por mostrarem fotos de estradas desertas, que se perdiam no horizonte. Pé na estrada. Tinha a ver com a música (instrumental).
Hoje descobri um site bem interessante que recomendo a visita, especialmente para os homens. O nome é... El Hombre!
Dali escolhi este post que aborda o mesmo tema.
Imaginem vocês guiando seus carros nessas estradas...
Muito legal.

7 estradas que fazem valer qualquer viagem

Por Guilherme Carvalho
Além de engenhosas, algumas nos apresentam para maravilhas naturais como montanhas, despenhadeiros, serras e o oceano.

estrada-sem-arte
Essa estrada passa pelo Atlântico.
Há algum tempo o El Hombre publicou um artigo sobre a revolução que promete acometer as estradas nos próximos anos. Se tudo ocorrer como previsto, as rodovias serão bem diferentes daquilo que estamos acostumados, com painéis de LED, sinalização eletrônica e, ainda, captação de energia solar.
O cenário rodoviário atual, porém, é bastante diferente. Veja bem, eu disse diferente, não pior. É claro que se você pensar em alguns trechos de pistas específicos o adjetivo “pior” chega até a ser generoso. Mas hoje teremos outro foco.
Existem algumas estradas atualmente que são verdadeiras obras de engenharia. Outras, além de engenhosas, te apresentam para impressionantes paisagens naturais: montanhas, despenhadeiros, serras, vista para o mar…
Pensando nisso, preparamos uma lista com algumas das mais incríveis estradas do planeta. Desde a temida “Estrada de la Muerte” até a impressionante estrada do Atlântico, que avança sobre pequenas ilhotas da Noruega.

7# Trollstigen – Noruega
caminho-dos-trolls
Trollstigen em português significa “Caminho dos Trolls”. Essa estrada de pista estreita e curvas sinuosas serpenteia as montanhas da região de Romstad. É a mais visitada da Noruega e possui em seu topo um mirante, de onde o visitante pode contemplar belezas naturais da região.

6# Estrada da Serra do Rio do Rastro – Brasil
2-rio
Com 283 curvas em um trajeto de apenas 10 km, a estrada da Serra do Rio do Rastro liga a serra ao litoral catarinense, comtemplando belas paisagens da mata Atlântica. Foi eleita, em enquete feita pelo site espanhol 20Minutos, a estrada mais incrível do mundo, devido á visão extraordinária da floresta tropical.

5# Estrada-túnel de Guoliang – China
1-estrada-tunel-montanha
Construída pelos moradores locais, a estrada de Guoliang foi concluída em 6 anos para permitir o mútuo acesso entre o mundo exterior e a vila de Guoliang, isolada por séculos. Inaugurado em 1977, o túnel consiste em um percurso de 1200 metros esculpido nas montanhas Taihang. Já imagionu? Não? Então percorra o túnel por esse vídeo feito por David Goorney.

4# Estrada Iroha-zaka – Japão
1-estrada-japao
Localizada no Japão, essa estrada possui uma pista para subida e outra para descida, com 48 curva sinuosas de cada lado. A cada curva foi dado o nome de uma letra de um antigo alfabeto japonês.

3# Estrada de la Muerte (Camino a los Yungas) – Bolívia
1-estrada-da-morte
Ligando a capital La Paz à cidade de Coroico e a outros vilarejos conhecidos como Yungas, a Estrada de la Muerte tem despenhadeiros com mais de 500 metros. Foi construída por prisioneiros na década de 30. Em 2006 foi inaugurada uma nova rodovia para substituí-la como via utilitária. Hoje, a procura maior da Estrada de la Muerte acontece por conta do turismo, ávido por explorar um dos trechos de asfalto mais incríveis do mundo.

2# Ponte-túnel na baía de Chesapeake – Estados Unidos
1-tunel-mar
Seria só mais uma ponte se não fosse pela façanha de atravessar 27,4 quilômetros de oceano transformando-se, por vezes, em túnel. Para permitir a passagem de navios, dois túneis de 1,6 km de extensão transportam o tráfego debaixo dos principais canais de navegação da baía.

1# Estrada do Atlântico – Noruega
1-atlantico
Eleita a segunda estrada mais incrível do mundo na mesma enquete do site espanhol 20Minutos, a Estrada do Atlântico (Atlanterhavsveien) vai desde a costa continental avançando sobre pequenas ilhas e sobre o oceano até encontrar a cidade de Averøy e seus pouco mais de 5 mil habitantes. Percorra todo o trajeto através deste vídeo.