23 de setembro de 2014

As Pesquisas da Semana e 'O Paradoxo de Marina Silva': conseguiria ela a proeza de conciliar demandas sociais antagônicas?

Começam a pipocar nesta terça-feira os resultados das pesquisas eleitorais semanais realizadas pelos institutos de pesquisa - encomendadas pela mídia - para tentar determinar (alguns dizem "influenciar") a quanto andam as tendências no momento do eleitorado.
Algumas deverão apontar a continuidade da queda (e aumento da rejeição) de Marina Silva, com discreta recuperação de Aécio. Dilma deve permanecer nos mesmos patamares, com clara tendência de subida.
Na verdade os cenários já poderão indicar uma vitória de Dilma contra Marina no segundo turno. Lembrando que na época do veloriomício Marina estava com dez pontos de vantagem.
Outro cenário possível é de Aécio aproveitar a queda de Marina e ultrapassá-la, indo para um segundo turno com Dilma, que sempre esteve - e deve continuar - na frente dele nesta simulação.
Por último, mas não em último grau de importância, Marina continua caindo, Aécio se recupera lentamente e estaciona em um patamar não muito acima de 20. Neste caso, dependendo de até onde Marina vai em sua queda livre, Dilma poderá ganhar já no primeiro turno!
Mas tudo ainda no terreno das hipóteses.
Enquanto isso vamos mostrando algumas análises interessantes de especialistas sobre posições contraditórias de certos candidatos.


Marina Silva e a convergência de interesses antagônicos
Por Antônio David*, na Revista Brasileiros
"Com a inesperada reentrada em cena de Marina Silva (PSB), o eleitor cansado da polarização entre PT e PSDB parece, enfim, vislumbrar a real possibilidade do triunfo eleitoral de uma “terceira via”, independentemente do que isso signifique.

Mas, se Marina Silva é cotada para disputar o segundo turno contra Dilma Rousseff (PT), não é o fato em si que merece interesse, mas seu significado. O que a força dessa candidatura revela? Que conflitos sociais e econômicos atravessam o pleito presidencial e, em particular, a candidatura de Marina?

A maior parte dos cientistas políticos e jornalistas especializados em política e eleições tende a analisar o quadro como se o pleito fosse um fim em si mesmo. Eles se esquecem de que em uma eleição presidencial expressam-se tensões sociais latentes. É para a sociedade que devemos olhar.

REALINHAMENTO

Segundo o cientista político André Singer (Os Sentidos do Lulismo, Companhia das Letras, 2012), em 2006 teria havido um realinhamento eleitoral no qual a fração mais pobre dos eleitores, com renda familiar até dois salários mínimos e que até 1998 votara contra Lula, teria aderido em massa à candidatura Lula ainda no primeiro turno, isso graças às políticas redistributivas. Ainda segundo Singer, esse eleitor quer mudanças, mas teme a radicalização política. É compreensível, visto ser ele mais vulnerável à instabilidade econômica.

Essa adesão teria compensado eleitoralmente a perda de apoio do PT junto a setores com renda mais elevada. O escândalo do “mensalão” teria sido o catalisador de uma insatisfação, no fundo motivada pela relativa perda de status social, expressa em frases do tipo “esse aeroporto está virando uma rodoviária”.

A classe média teria, assim, tornado-se a base de massas da oposição ao governo. Nesses termos, uma crescente polarização social entre ricos e pobres daria o lastro social para a polarização eleitoral entre PT e PSDB.

PONTO CEGO

Há, todavia, um ponto cego nessa análise. Se em 2006 e 2010 os mais pobres votaram em peso no PT, esse eleitor só foi decisivo porque somou-se ao peso do eleitor situado um pouco acima, com renda familiar entre dois e cinco salários mínimos, no qual predominou o voto no PT. Lula só venceu em 2006 porque contou com a adesão também desse setor: no segundo turno, a diferença de votos entre Lula e Alckmin nesse segmento foi de expressivos 21% de folga, segundo pesquisa Ibope realizada na véspera da eleição.

Trata-se de um segmento composto igualmente por trabalhadores, também beneficiado pelas políticas redistributivas. Esse é o segmento no qual o PT está perdendo espaço mais rapidamente. Em 2010, a diferença entre Dilma e Serra caiu drasticamente para 6% nessa faixa de renda.

Hoje, em um cenário de segundo turno entre Dilma e Aécio, haveria empate técnico entre a petista e o tucano nesse segmento: 42% para Dilma, 45% para Aécio, segundo pesquisa Datafolha de agosto. O ponto é que, sendo Marina a adversária de Dilma no segundo turno, a diferença em favor da candidata do PSB chegaria a 14%. Que fatores sociais estão na base desse fenômeno?

INQUIETUDE E ALIENAÇÃO

A considerar o perfil do eleitor de Marina, é possível desenhar hipóteses. De quem estamos falando? Jovens que vivem em grandes cidades, trabalham durante o dia e estudam à noite, têm carteira assinada, estão inseridos no mundo do consumo, estão conectados nas redes sociais e, sobretudo, nutrem enormes expectativas.

Cresceram sob o governo Lula. Não têm a memória dos anos FHC, muito menos dos anos anteriores. Não experimentaram a ascensão. Seus pais a experimentaram. São os filhos dos que ascenderam.

O sociólogo Ruy Braga tem estudado os trabalhadores do setor de telemarketing, situados nessa faixa de renda familiar (A Política do Precariado, Boitempo, 2012).

Em geral com melhores salários do que seus pais, os milhares de trabalhadores do setor, majoritariamente jovens, enfrentam jornadas de trabalho exaustivas e alta rotatividade no emprego. Estudaram, mas não conseguem ascender na carreira. Por conta das duras condições de vida, haveria entre esses jovens, segundo Braga, uma forte inquietação.

O ponto é que, diferentemente de seus pais, os mais jovens situados nessa faixa de renda estudaram e estão acostumados às redes sociais e ao mundo do consumo. Querem empregos melhores, compatíveis com sua qualificação.

A considerar a situação econômica desse segmento social e suas expectativas, há nesse setor um forte sentimento de estagnação. Ainda que o Brasil tenha experimentado um ciclo expansionista, não foram criados empregos qualificados em número suficiente. Daí a razão pela qual cresce entre esses jovens a busca por alternativas eleitorais.

TERCEIRA VIA?

Mas por que Marina Silva? Essa é uma questão que só pesquisas qualitativas poderão responder. Por ora, convém atentar para um fato: além dessa nova classe trabalhadora, a candidatura de Marina Silva atrai a classe média.

Não por acaso, os dois setores que foram em peso para as ruas em junho de 2013. Tal é a composição de seu eleitorado, unificada em torno de um nome, cujo projeto é incerto. Afinal, por detrás da superficial comunhão de interesses entre um e outro, será que há unidade no que toca às questões de fundo, em particular à política econômica? É duvidoso.

Os jovens do telemarketing almejam melhores empregos e melhores serviços públicos – ou seja, mais Estado. Já a classe média, sobretudo os mais ricos, reclamam por menos Estado. Marina pode até vir a reunir em torno de si políticos de diferentes legendas. Conseguiria ela a proeza de conciliar demandas sociais antagônicas?

A ideia de uma terceira via agrada a uma parte da sociedade cansada do que enxerga ser politicagem e do que lhe parece ser um ódio irracional entre dois partidos que teriam, no fundo, muito mais em comum do que diferenças.

Como Marina procederia em face da polêmica sobre crescimento, emprego e inflação? Trabalhadores como os do telemarketing são os que primeiro perderiam o emprego em um cenário econômico recessivo. Simbolicamente, Marina pode ser um pouco de cada: um pouco de PT, um pouco de PSDB. Poderia ela cumprir esse papel como presidenta?

Enquanto afirma sua candidatura como de centro, paradoxalmente Marina atrai setores da sociedade que não só almejam direções opostas para o Estado, como parecem ser os mais inclinados à radicalização política numa conjuntura de agudização das polarizações sociais.


Nesse cenário, alimentando exatamente aquilo que ela pretende evitar, não será difícil vermos diante de nossos olhos a terceira via subitamente metamorfoseando-se no seu exato oposto. Eis o paradoxo de Marina."

*Bacharel em Filosofia pela USP, pesquisa o pensamento político do filósofo Baruch Espinosa (1632-1677) em tese de doutorado na mesma universidade.

22 de setembro de 2014

Primavera


Começa hoje, por volta das 23:30 h, aquela que é considerada por muitos a mais bela das estações: a Primavera.
É verdade que nos trópicos as estações não são tão bem definidas. 
Nos últimos dias, por exemplo, tem soprado aqui pelo Rio de Janeiro um vento forte (eventualmente frio) que era para ter aparecido no início de agosto. Bem é disso que se recorda minha memória de infância e adolescência. Quer dizer, se as estações já não são tão bem definidas, nos últimos tempos elas tem se misturado mais.
De qualquer forma, começa a chamada estação das flores e mesmo sem tantas flores, comemoremos em nossos corações os recados que a mãe natureza nos dá a cada dia.
Seja com ventos ou com tempo seco. Seja com chuva ou com tempo quente.
Boa estação a todos.

Video de David de los Santos Gil
Música "Point of no return" de Roger Subirana

Novo disco do Pink Floyd!


Good News!
Sai em novembro o novo disco do Pink Floyd, depois de 20 anos de recesso!
Obviamente trata-se de um trabalho do duo David Gilmour (guitarras, baixo, vocais e alguns teclados) e Nick Mason (bateria e percussão).
Serão inseridos trechos de teclados registrados por Richard Wright, que faleceu em 2008.
O vocalista, compositor e baixista Roger Waters continua fora da banda.
Participação de alguns convidados, como Phil Manzanera (Roxy Music).
O disco terá 18 faixas e será editado em CD, vinil duplo e box set de luxo com material extra.
Talvez a capa seja esta aí de cima.
O título será "The Endless River"
Já se pode reservar no site (esperem a página ofical carregar e terão uma surpresa visual muito legal)!


Hotéis, hotéis, hotéis...

Neste último fim de semana consegui arranjar um tempinho para ver alguns filmes e programas que estavam gravados.
A bem da verdade os fins de semana tem passado cada vez mais rápidos e tenho tido que optar: ou descanso, ou faço um ou mais pequenos deslocamentos, ou realizamos arrumações sempre pendentes, ou para para ouvir um pouco de boa música, etc. etc. Imagino que este seja um problema que a maioria das pessoas enfrenta hoje.
Voltando ao tema levantado no primeiro parágrafo, uma das séries que tive a oportunidade de conferir é de um dos canais Discovery (Travel & Living), cujo título é "Hotéis de Luxo".
Dá para imaginar, né?! Em HD com visuais fantásticos tanto das inacreditáveis acomodações como do entorno.
Sim porque esse hotéis especias sempre se localizam em paisagem paradisíacas.
Teve um mostrado que consistia de 18 casas fantásticas em uma ilha exclusiva nas Bahamas (Caribe). Só para citar um. Eles só dizem os preços das diárias. Sem falar no deslocamento até lá.
Para ver como neste mundo "quem pode pode". Quem não pode, vê na série da TV...
Aí me lembrei que tinha postado alguma coisa no blog há algum tempo sobre o tema.
Como neste semestre estamos 'repostando' alguns itens em comemoração aos cinco anos do blog, segue este, que é para dar um misto de conforto e desconforto em quem está em casa, ou no trabalho, ou em uma fila com o smarthphone, mas não está em um hotel desses. :) ou :(

Para dar água na boca: maravilhosos hotéis ao redor do mundo
O que você faz neste momento em frente ao computador ou com smartphone na mão?
Que tal pegar o passaporte (e o cartão de crédito!) e fugir para uma dessas paisagens oferecidas por hoteis especiais, cujo principal encanto é a localização em um paraíso?
Bem, vale a pena sonhar neste calorão de 40º à sombra, com tantas preocupações e tarefas intermináveis.
Eu tirei essas dicas do site Bored Panda. Lá tem muitos outros para você escolher. Ou ficar com mais água na boca.
Cliquem nas imagens.

Hotel Äscher Cliff - Suíça
Astarte Suits Hotel - Grécia
Hotel Conrad Maldives - Rangali Island
Dedon Island Resort
Hotel Rayavadee Krabi - Tailândia
Hotel Ristorante Grotta Palazzese Polignano a Mare - Itália
Hotel Shangri-la - Paris
Hotel-Restaurant Öschinensee - Suíça
Juvet Landscape Resort - Noruega
Ladera Resort - Santa Lúcia

Hotel Kakslauttanen - Finlândia
The Manta Resort - Zanzibar
Hotel Le Sirenuse, Amalfi Coast - Itália

21 de setembro de 2014

Blog do Tarso: Campanha de ódio ao PT provoca morte de militante do partido em Curitiba

do Blog do Tarso, sugerido por Sérgio Govea
"O discurso do ódio ao Partido dos Trabalhadores, e contra a política, da oposição, da velha mídia e dos setores mais atrasados da sociedade fez uma vítima fatal ontem (19) em Curitiba.
Um militante da campanha de Gleisi Hoffmann (PT) ao governo do estado do Paraná, que também fazia campanha para a presidenta Dilma Housseff (PT), chamado Hiago Augusto Jatoba de Camargo, de 21 anos, foi assassinado com uma facada na Praça da Ucrânia, em Curitiba, onde há uma Feira Noturna frequentada pela classe-média e alta da cidade, no Bigorrilho (Champagnat).
O jovem que sofreu o homicídio era responsável por cavaletes das candidatas e um homem, possivelmente com um grupo, iniciou discussão com o menino e deferiu um golpe de faca contra ele.
O assassino tem barba ruiva e vestia camiseta de time de futebol, e já vinha causando problemas na região.
O Blog do Tarso já havia denunciado a campanha criminosa contra os cavaletes de políticos (clique aqui), o que é crime.
Além disso os candidatos Aécio Neves (PSDB), Marina Silva (PSB, ex-PT, ex-PV, futura Rede Sustentabilidade), Beto Richa (PSDB), Alvaro Dias (PSDB), a revista Veja e demais órgãos da velha mídia, já faziam uma campanha de ódio contra o Partido dos Trabalhadores. Espero que com esse crime seja paralisada essa campanha do ódio.
Nota de pesar pela morte de Hiago:
A coligação Paraná Olhando pra Frente e a candidata à governadora Gleisi Hoffmann se solidarizam e estão prestando todo auxílio à família de Hiago Augusto Jatoba de Camargo (21), morto no início da noite desta sexta-feira (19) em razão de agressão sofrida na Praça Ucrânia em Curitiba, quando fazia campanha com outros militantes.
Ambulância do SAMU atendeu o jovem no local. Ele faleceu a caminho da UPA 24h do Campo Comprido.
Lamentamos profundamente o ocorrido. Sabemos que todo o apoio e auxílio prestado a família não lhe devolve o que é de maior importância: a vida de Hiago.
Pedimos a Secretaria de Estado da Segurança Publica que tome todas as providências no sentido de identificar e punir os responsáveis por tal agressão.
E pedimos a Deus para que dê forças e conforte a família neste momento, principalmente sua mãe.
******
Hiago Augusto Jatoba de Camargo que foi assassinado em Curitiba por causa do discurso de ódio contra o PT e contra a política, ao estar atuando na campanha da candidata ao governo do Paraná, Gleisi Hoffmann (PT), e na campanha de reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT), era cantor e seu nome artístico era Hiago 100 Caos, e tinha várias músicas gravadas (clique aqui).
Atuava na banda Família 100 Caos e cantava músicas pela paz e esperança e era religioso.
Tinha acabado de lançar suas músicas, veja aqui. Veja os vídeos da banda aqui. Veja o site da banda.
Uma das últimas coisas que ele escreveu no seu Facebook:
“lamentável a juventude
toda se perdendo os irmão tudo morrendo
e ninguém faz nada.”
Vai com paz Hiago!
Me parece que é nossa obrigação fazer uma manifestação pelo fim do ódio contra a política e contra o PT."
Fonte: Viomundo

Jean Michel Jarre: Oxigene


Um video com um tratamento gráfico muito legal para uma das clássicas obras musicais eletrônicas do francês Jean-Michel Jarre.
Vejam em tela cheia e com auto-falantes ou no fone.


20 de setembro de 2014

As canções de amor de Roberta Flack


Olha aí uma das grantes cantoras dos anos 70, Roberta Flack.
Além da voz, era uma excelente compositora de músicas românticas e pianista.
Fez parte da geração de ouro da soul music negra americana cujo auge foi entre 1960 e 1975, aproximadamente, com destaque para o elenco da excelente Motown Records.
Procurei escolher videos que trouxessem a tradução das letras de amor que sempre traziam uma certa dramaticidade, como aliás é de praxe na ficção e na realidade quando se trata de encontros e desencontros de paixões.






Brasil na final do Mundial de Volei!

Haja calmante!
Jogo nervoso e desgastante com vitória apertada por 3 a 2.
Daqui a pouco o outro jogo que vai definir o adversário do Brasil amanhã na final: Alemanha x Polônia. Detalhe: o mundial é na Polônia.



Novos dados da Pnad reafirmam a trajetória de queda das desigualdades e mantêm as principais tendências verificadas nesta década

Quem nunca cometeu alguma falha no trabalho diário que atire a primeira pedra.
Mas cá para nós, muito estranho que erros grosseiros - praticamente todos desfavoráveis às ações do governo - tenham ocorrido pela primeira vez às vésperas das eleições.
Em tempo: o analista da Globonews que ficou comentando (ou comemorando) o aumento do índice de Gini, que mostrava um aumento da desigualdade, agora vai ter que usar o mesmo tempo para comentar a diminuição da desigualdade social (conforme já vem acontecendo desde o início dos governos Lula e Dilma)
É claro que vão preferir procurar algum aspecto negativo - por menor que seja - nos novos números...


GOVERNO TOMARÁ MEDIDAS DISCIPLINARES APÓS ERRO NA PNAD
"Ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse neste sábado (20) que o governo pode tomar medidas disciplinares, após o erro cometido pelo IBGE nos cálculos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2013; segundo ela, as possíveis ações só serão definidas após a conclusão de uma comissão de sindicância, a ser criada para apurar a falha; "O governo ficou chocado com esse erro. É um erro gravíssimo que foi cometido", disse Belchior, em coletiva com outros ministros
247 -

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse neste sábado (20) que o governo pode tomar medidas disciplinares, após o erro cometido pelo IBGE nos cálculos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2013. Segundo a ministra, as possíveis ações só serão definidas após a conclusão de uma comissão de sindicância, a ser criada para apurar a falha.

"O governo ficou chocado com esse erro. É um erro gravíssimo que foi cometido", disse Belchior. Segundo a ministra, a presidente Dilma Rousseff foi comunicada do erro logo após do alerta do IBGE e ficou perplexa: "Ela ficou absolutamente perplexa de como o IBGE pode cometer um erro tão básico".

Miriam participou de coletiva de imprensa com outros três ministros: Henrique Paim, da Educação; Marcelo Néri, da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) e Teresa Campelo, de Desenvolvimento Social.

Além do grupo que investigará o erro de cálculo, ela disse que será criada uma comissão de especialistas para “avaliar a consistência da Pnad”. Sobre a permanência da presidente do IBGE, Wasmália Bivar, à frente do cargo diante da gravidade do erro, Belchior disse que não há nada definido. Na sexta-feira, Wasmália afirmou não estar confortável no cargo, após a falha.

Na quinta-feira o governo minimizou os dados originais, que mostravam um leve aumento do nível de desigualdade no país. Pelos novos cálculos, a desigualdade no Brasil caiu, conforme havia dito o ministro Marcelo Néri na semana passada.

Abaixo matéria da Agência Brasil:

Sabrina Craide – Repórter da Agência Brasil Edição: Lílian Beraldo

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse hoje (20) que o governo irá esperar a conclusão do trabalho da comissão de sindicância, que irá apurar o erro do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2013, para tomar providências sobre possíveis afastamentos de responsáveis do órgão.

A comissão terá 30 dias para analisar os fatos e a responsabilidade funcional e será formada por integrantes da Casa Civil, dos ministérios do Planejamento e da Justiça e da Controladoria-Geral da União (CGU).

Segundo a ministra, o governo “ficou chocado com o erro”, considerado gravíssimo. Além da comissão de sindicância, um grupo de especialistas independentes irá avaliar a consistência da Pnad de 2013, para ver se há algum outro problema no estudo. Os nomes devem ser divulgados na próxima terça-feira (23).

Ontem (19), o IBGE divulgou uma correção da análise de dados da Pnad, divulgada na última quinta-feira (18), o que levou a erro em alguns resultados das estimativas. O índice de Gini, que mede a desigualdade no país, em 2012 estava em 0,496 e, em 2013, caiu para 0,495, o que mostra redução na desigualdade, ao invés do aumento para 0,498 divulgado anteriormente.

O erro ocorreu porque foi superestimada a população das regiões metropolitanas de sete estados que têm mais de uma região metropolitana, onde foi considerado o peso da região metropolitana do estado inteiro, e não apenas o da capital. Isso influenciou no cálculo de dados como o índice de Gini. Outros dados como o rendimento da população, taxas de analfabetismo e de desocupação também sofreram alterações.

Miriam Belchior destacou a rapidez com que o IBGE corrigiu os dados. “Isso não apaga o erro, que é gravíssimo, mas colocou à disposição da sociedade de forma transparente o mais rápido possível, as informações corrigidas.”

Segundo a ministra, ao ser informada do erro do IBGE, a presidenta Dilma Rousseff demonstrou perplexidade por um erro básico como o fato de não ter sido feito um processo de checagem e rechecagem dos dados. Para a ministra, não há problemas de orçamento e de pessoal no IBGE. “Houve um problema técnico básico de não ter sido feita a checagem dos dados”, destacou.

Ontem, a presidenta do IBGE, Wasmália Bivar, pediu desculpas a toda a sociedade pelo erro, mas afirmou que, do ponto de vista significativo, os resultados não mudaram substancialmente.

Também participam da coletiva a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, o ministro da Educação, Henrique Paim, e o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Marcelo Neri. Em nota divulgada durante a coletiva, o governo afirma que os novos dados da Pnad reafirmam a trajetória de queda das desigualdades e mantêm as principais tendências verificadas nesta década."
Fonte: Brasil 247

Humor no Sábado: Aécio & Marina, o Debate

Nooossa! Anaconda & Booty

Isso é polêmico?
As danças do funk carioca fazendo escola... Legal!?
Quanto as letras, lembram Shakespeare.
Já musicalmente... que tal comparar com a Roberta Flack de um post que vou colocar aqui hoje ainda?
Vamos ver se colocamos algumas dessas como "Musa da Semana".

Nicki Minaj - Anaconda



Tem mais (divirtam-se):
Jennifer Lopez - Booty ft. Iggy Azalea


Chega da Alemanha o concorrente do Ibope e Datafolha: empresa alemã GfK entra no mercado brasileiro de medição de audiência e pesquisas


"Segundo a agenda oficial da Presidenta, representantes da Rede TV, Band e Rede Record estiveram com a Presidenta Dilma para anunciar que contrataram os serviços de medição de audiência da empresa alemã GfK.

O ansioso blogueiro soube que o objetivo da audiência foi mostrar à Presidenta que o Brasil passa a contar com um novo modelo de aferição de audiência “para sair da ditadura do IBOPE”, aqui também conhecido pelo cognome “Globope”.

Até onde é possível captar o movimento dos astros, “ela gostou” do que ouviu.

Clique aqui para ler “como os ‘analistas do mercado’ garantem o bônus de Natal com o vazamento das ‘pesquisas’ eleitorais”.

Como se sabe, a audiência da Globo caiu vertiginosamente depois que as concorrentes da Globo anunciaram o fechamento do contrato com a GfK.

O que se pode explicar, também, com a possibilidade de o Globope ter corrigido alguma imperfeição que se teria consolidado há décadas: conferir à Globo uma audiência que o GfK não confirmará …

Por essas e outras, o Fintástico passou a dar 13 e o jornal nacional foi para a casa dos dez.

E treze pontos do Fintástico e o jn na casa dos dez não pagam as contas dos jatinhos da Globo Overseas, aquela que mereceu tantos elogios do Garotinho e do Lula, em Porto Alegre.

Com essa audiência, vai para o saco o modelo de negócio dos filhos do Roberto Marinho – eles não têm nome próprio.

A menos que a Dilma perca – o que está fora das cogitações do DataCaf e da Vox.

Porque se a Dilma perdesse, os bancos estatais – esses que a Bláblá quer sufocar – iam fazer da Globo um “vencedor” !

Outra notícia muito interessante é a que está na Keila Gimenez, da Fel-lha (*), na seção “Televisão”.

A família Montenegro vendeu todo o IBOPE à WPP, o maior conglomerado de mídia do mundo.
Nasceu na Inglaterra, expandiu-se nos Estados Unidos, a WPP no Brasil controla as agências de publicidade Ogilvy, Newcomm e Wunderman.

Trata-se, portanto, de uma empresa de reputação global, submetida ao rigor da transparência, que, lamentavelmente, não se aplica ao “negócio” de “pesquisas” de intenção de voto, no Brasil.

Por exemplo, este ansioso blogueiro soube que, num importante Estado do Nordeste, um candidato a Governador foi o único que se interessou por pagar quase R$ 200 mil por uma “pesquisa” de famosa instituição.

Pagou, mas decidiu não publicar.

Preferiu guardar para mais adiante, na campanha.

Ou seja, a pesquisa não tem qualquer caráter informativo.

Embora assim pareça, quando sai, anabolizada,  no PiG (**) – nacional e estadual …

Dificilmente uma empresa como a WPP correrá o risco de se meter nas arapucas desse “mercado”.

O que tem outro significado importantíssimo.

A WPP vai deixar a Datafalha com a brocha na mão.

Vai acabar essa tabelinha segura-no-meu-que-eu-seguro-no-seu entre o Globope e a Datafalha, acasalados no jornal nacional.

A Datafalha vai ficar de brocha na mão.

O Montenegro tira o time de campo e deixa o Otavinho na chuva…"

Paulo Henrique Amorim no Conversa Afiada

19 de setembro de 2014

Eleições: mais uma versão hilária (com informações interessantes) de "A Queda"

Hehehe...


Búzios para iniciantes


Nem precisa falar nada, né?! Meu amigo Gil que o diga...






Musa da Semana: Patricia Ferro

Toda semana é esta luta!
Ter de escolher entre milhares e milhares, a nossa musa da semana.
E depois de escolher, ter de ver dezenas de fotos para selecionar apenas algumas...
Dificuldade.
Que critério usar?
Como homenagear tantas, se só temos uma edição semanal?
Será necessário um blog exclusivo para tratar do assunto?
Desta vez decidimos que seria uma estrangeira.
Mas da América do Sul.
Acidentalmente achamos a Patrícia Ferro, modelo uruguaia, musa do clube Nacional de Montevideu.
Nem deu tempo de pesquisar a biografia da bela moça, a não ser que ela é muito admirada por aquelas bandas.
Não é para menos.
Se bem que ela tem um padrão de beleza digamos, não tão sul-americano.
Deve ter ascedência não necessariamente indígena, mas sim um pouco de espanhóis com italianos, talvez. Ou uma pitada da escandinávia...
Meros detalhes.
Vale a viagem pelo Mercosul.
E viva o Uruguai!







 


Eleições: as mais recentes pesquisas, as tendências e uma análise bem interessante

"A nova queda do Ibovespa de quase 1,5% de alguma forma reflete esses dados. O tal mercado financeiro quer o Pré Sal privatizado e o Banco Central independente e por isso festeja quando candidatos que apoiam essas propostas melhoram nas pesquisas. Já quando Dilma mostra sua força, os tais agentes do mercado fazem bico."

Nesta madrugada o Datafolha (que alguns conhecem como Datafalha e outros como Datatrolha) deve divulgar mais uma pesquisa.
O mais importante são os trackings (pesquisas diárias) dos partidos que apontam tendências.
E o mais preocupante são pesquisas que não mostram tendências mas são tendenciosas.
Melhor acompanhar análises de jornalistas independentes como o Renato Rovai.

Trackings apontam Dilma com no mínimo 37% e Aécio fora do 2o turno
"Depois de muitos leitores terem me procurado entre ontem e hoje, o blogueiro saiu a caça de trackings e conseguiu acesso a dois que revelam correta a análise feita aqui quando da  divulgação da última pesquisa Ibope.

O primeiro, aponta os seguintes resultados. Na espontânea, Dilma tem 31%, Marina 23% e Aécio 11%. Na estimulada, Dilma 38%, Marina 29% e Aécio 17%. Aécio não cresceu de forma consistente nos últimos dias e vem oscilando entre 15% e 17%. Neste mesmo tracking, no segundo turno Dilma e Marina empatam em 41%.

No segundo tracking, Dilma tem 32%, Marina 20% e Aécio 12% na espontânea. Já na estimulada, Dilma tem 37%, Marina 26% e Aécio 15%. Ou seja, Dilma abre 11 pontos sobre Marina no primeiro turno. E a candidata do PSB abre os mesmos 11 pontos sobre Aécio. No segundo turno, Dilma venceria Marina por 43% a 41% neste tracking.

Os resultado de trackings são muito mais interessantes para apontar tendências. Neste em que Dilma abre dois pontos de vantagem sobre Marina no segundo turno, a petista já esteve dez pontos atrás no dia 22 de agosto. Ou seja, a sua recuperação é consistente e nada indica que a campanha de questionamento do programa de governo de Marina tenha lhe tirado força ou criado problemas.

Os analistas com quem conversei dizem que para Aécio ir ao segundo turno ele precisa de um milagre. Ou seja, Marina precisa ser atingida por um nocaute que lhe levasse à lona. Só assim o tucano conseguiria ultrapassá-la.

A nova queda do Ibovespa de quase 1,5% de alguma forma reflete esses dados. O tal mercado financeiro quer o Pré Sal privatizado e o Banco Central independente e por isso festeja quando candidatos que apoiam essas propostas melhoram nas pesquisas. Já quando Dilma mostra sua força, os tais agentes do mercado fazem bico.

Por curiosidade, você acha que o que é melhor para esses tal agentes de mercado é melhor para a maioria do povo brasileiro?"

18 de setembro de 2014

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2013/2014 (PNAD): Qualidade de vida dos brasileiros avançou em quase todos os setores


A qualidade de vida dos 201,5 milhões de brasileiros avançou em quase todos setores, entre 2012 e 2013, em todas regiões pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na área de saneamento, por exemplo, onde o País patinou durante décadas por falta de investimento, o total de domicílios com coleta de esgoto e fossa séptica chegou a 41,9 milhões no ano passado, aumentando de 63,3% para 64,3%, de acordo com Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad)

O MUDA MAIS ESTÁ DE VOLTA, MAIS FORTE E ATIVO DO QUE NUNCA! SALVE MILITÂNCIA!

O Muda Mais voltou! A justiça reconheceu o direito de expressão do Muda Mais, o direito a disseminar o debate nas redes, baseando-se na honestidade dos fatos, em uma boa apuração e na checagem das informações que servem ao diálogo franco e aberto, levando em consideração a disputa de projetos que está em jogo nessas eleições.

Na terça-feira, dia 16 de setembro, fomos surpreendidos com uma decisão liminar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que atendia ao pedido judicial da coligação encabeçada pela candidata Marina Silva (PSB) para a retirada do Muda Mais do ar.

Uma decisão liminar é uma ordem judicial que não é definitiva. Sempre, após a decisão liminar, o juiz se debruça sobre o assunto para melhor compreendê-lo e avaliar os detalhes do caso. Assim, a decisão pode ou não se manter.

Pois bem, a liminar não foi mantida. Diante de todas as explicações jurídicas que foram prestadas – incluindo a comprovação de que nosso provedor está hospedado no Brasil e de que o Muda Mais está ligado ao Partido dos Trabalhadores – o juiz autorizou a imediata retomada do sítio eletrônico, considerando que o que estava sendo questionado pela coligação adversária eram apenas formalismos jurídicos.

Nas quase 48 horas que ficamos fora do ar, a militância espontaneamente partiu em defesa da democracia e da liberdade de expressão. A hashtag #MarinaCensura permaneceu entre as mais citadas do twitter por quase 24 horas e inúmeros foram os sites, blogs e perfis das redes sociais que se posicionaram ao nosso lado.

Continuaremos atuando nas redes sociais, em defesa do projeto de governo em que acreditamos e que tem mudado a vida de milhões de brasileiros ao longo dos últimos 12 anos. É preciso atribuir ao TSE o mérito de restabelecer o primado da liberdade de expressão e favorecer o bom debate político, normal e necessário em um período decisivo como o eleitoral.

Com a decisão de hoje, o Muda Mais volta ao ar com a mesma proposta de sempre: fazer o debate de argumento e ideias, sem ataques infundados ou pessoais. Na democracia, ninguém fala sozinho, e nós temos muito o que dizer!”

Em tempo: Na terça-feira, o TSE manteve propaganda do PT sobre Banco Central



TSE mantém propaganda sobre Banco Central
Para defesa, não há debate sem crítica e isso é necessário para o esclarecimento das propostas aos eleitores.

Decisão considera que propaganda trata de tema de grande relevância econômica que deve ser democraticamente debatida.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acaba de julgar improcedente o pedido de direito resposta feito pela candidata Marina Silva contra a propaganda eleitoral de Dilma Rousseff que criticava a proposta de autonomia do Banco Central (BC).

Em decisão monocrática que assegura a liberdade de expressão nas eleições presidenciais, o Ministro Tarcísio Vieira de Carvalho Neto afirmou que:

“A meu ver, na propaganda questionada, a representada propõe aos eleitores em geral o cenário econômico que, sob sua ótica, resultaria de eventual concessão de autonomia ou independência do Banco Central do Brasil. Trata-se de tema controvertido e de muita relevância eleitoral, uma vez que envolve questões diretamente ligadas à política econômica do País. Portanto, tenho que essa discussão deve ser ampla e democraticamente debatida no meio social, sendo inoportuna na espécie, a intervenção do Poder Judiciário.”

Para o coordenador jurídico da Coligação Com a Força do Povo, Flávio Caetano, “o TSE, mais uma vez, prestigiou o espírito democrático, garantindo o debate crítico, que é fundamental e inerente ao processo eleitoral. Sem crítica, não há debate, e, sem debate, não há esclarecimento das propostas aos eleitores”, disse.

 Da Redação da Agencia PT de Notícias

Sobre 'pesquisas' & 'justiça' eleitoral, jatos fantasmas & sites censurados


Estranho Brasil que proíbe sites e libera jatinhos fantasmas
Por Miguel do Rosário no blog O Cafezinho

"Muito se fala em reforma política, e por isso mesmo cumpre trazer ao debate os problemas reais derivados do sistema atual.

Por exemplo: pesquisas eleitorais.

Pesquisas eleitorais não são apenas para apurar a intenção de votos.

Há sempre outras perguntas, ainda mais importantes.

O que você pensa dos impostos? Gosta de que jornais? Quais os que você não gosta?

Quem escolhe o que será perguntado, tem o poder.

Aliás, a própria abordagem, naturalmente, implicará em alguma reação.

É por isso que a Globo, hoje, paga o Datafolha e paga o Ibope.

E a grande mídia só dá destaque a essas duas pesquisas, tidas como as melhores, as mais profissionais.

A concentração de dinheiro em mãos da Globo facilita tudo.

Isso deverá ser discutido numa reforma política, e que virá através de um plebiscito e da eleição de uma constituinte exclusiva.

É preciso estimular a diversidade de pesquisas. Não pode ficar tudo nas mãos de um só, como hoje, com a Globo.

Ter o controle da pesquisa, quais perguntas fazer, que regiões pesquisar, qual a abordagem, quando publicar, é um tremendo poder!

Poder demais para um só!

A pesquisa eleitoral restitui à mídia o poder que ela havia perdido na área de informação e, sobretudo, em opinião e debate, para as redes sociais e blogs.

A opinião da pessoa sobre a criminalização do aborto poderia mudar radicalmente, se a pergunta fosse feita de outra forma.

Você acha que as mulheres merecem morrer por causa de uma legislação atrasada?

Você sabe que direitos possuem as mulheres em outros países desenvolvidos?

Você sabia que os programas sociais na Europa são cinco vezes maiores que os do Brasil?

Que o número de servidores públicos por mil habitantes é bem maior nos EUA do que no Brasil?

Diante disso, você ainda acha que nosso setor público é “inchado”?

Daí voltamos à guerra da comunicação.

Censuram um candidato em São Paulo, processam tuiteiros, entram com ações no TSE para derrubar o site do adversário.

O que leva um ministro do TSE a mandar fechar o site de uma campanha para presidente da república, a pouco mais de uma semana do pleito?

Que tipo de democracia é essa, que juízes decidem monocraticamente quem pode e quem não pode falar?

Criamos, por fora do debate parlamentar, um novo regime político, regido por mandarins do judiciário e barões de mídia?

O TSE entendeu que o Empiricus tem o direito de anunciar no Youtube um vídeo de campanha negativa contra a Dilma.

É do jogo, concluiu o TSE.

Um site que integra o núcleo da comunicação de uma campanha, através do qual milhares de jovens estão interagindo e discutindo política, esse pode fechar.

O TSE desenvolveu uma postura criminalizante, rígida, mal humorada, diante da liberdade democrática.

Tudo é sujo e feio.

O procurador-Geral, Rodrigo Janot, diz que a campanha de Dilma não pode criticar Marina.

Marina pode criticar Dilma, pode falar que o PT botou um diretor por 12 anos para roubar na Petrobrás.

Dilma não pode usar a linguagem audiovisual para comunicar o que pensa do projeto de Marina de dar independência ao Banco Central.

Os “melhores”, os “mió do mió”, querem assumir o comando da democracia brasileira. E por isso se identificam com o discurso autocrático e guardianista de Marina Silva.

Identificam-se e interferem no processo eleitoral.

Há tempos acusamos a transferência do autoritarismo dos generais para os juízes.

Não todos, mas para alguns juízes, que acham saber o que é o “melhor” para o Brasil.

Jatinhos fantasmas?

Isso não é problema.

O PSB agora diz que a culpa é do morto, exclusivamente dele.

Em nome do poder, que se dane o culto a Eduardo Campos, é a mensagem de Marina Silva.

Não é bem assim. Campos não pode levar a culpa disso sozinho. É óbvio que há tesoureiros e assessores envolvidos.

Campos não iria se meter numa furada dessas por conta própria, afinal ele era um político, não um corretor de jatinhos.

O tesoureiro de Marina Silva participou da negociação do jato? Já sabia o que estava acontecendo?

O nome dele é Rubens Novelli e sumiu do mapa.

Onde está Rubens Novelli, que trabalhou com Marina em 2010 e agora em 2014?

O homem de confiança de Marina em se tratando de dinheiro, onde está?

Ah, isso é secundário!

O problema são esses malditos sites e blogs!

Ai de quem mandar fechar um site da Globo, da Folha, do Estadão.

O da presidente da república, esse pode derrubar.

Um site da campanha de Dilma não vale nada, não é, seus juízes?

Um site da presidenta eleita com 55 milhões de votos em 2010, e que pode ter ainda mais votos este ano, não vale nada.

Enquanto isso, o poder se cala sobre os donos do jatinho fantasma de Marina Silva.

Jatinhos são sagrados.

Embora possam ser derrubados pela “providência divina”.

Como os sites."

Humor de Quinta: Eleições





17 de setembro de 2014

O escândalo e a falsa bala de prata

Sete homens e um escândalo
Por Antonio Lassance, cientista político, no site Carta Maior
Quase metade dos nomes da famigerada lista do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, está ligada às campanhas de Aécio ou Marina Silva.

"Se o escândalo contra a Petrobrás era para ser a bala de prata desta eleição, o tiro saiu pela culatra.

Quase a metade dos nomes listados na delação premiada do ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, é de políticos ligados não à campanha de Dilma Rousseff, mas à de Aécio Neves e Marina Silva. Dos 16 nomes, sete estão contra Dilma, pública, notória e oficialmente.

O detalhe, que é do tamanho de um elefante, tem passado desapercebido na "grande" mídia.  Será por quê?

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), é candidato ao governo do Rio Grande do Norte, apoia Aécio e tem uma chapa formada pelo PSDB, DEM e também pelo PSB.

Romero Jucá, do PMDB de Roraima, declarou apoio e fazia entusiasmada campanha para Aécio. Jucá brigou com Dilma quando foi afastado, em 2012, da liderança do governo no Senado, o cargo quase vitalício que ocupou, pela primeira vez, durante o governo FHC.

Ao finalmente romper com um governo e ir para a oposição, Jucá declarou que o fazia por razões ideológicas e "acusou" Dilma de ser socialista.

O senador Francisco Dornelles (PP-RJ) liderou a resistência que tentou impedir o apoio de seu partido a Dilma. Depois, organizou a dissidência do Diretório do Rio de Janeiro, que apoia Aécio.

A mesma coisa fez João Pizzolatti, que é presidente do PP de Santa Catarina e articulou o apoio desse diretório a Aécio. O PP-SC também fez barba, cabelo e bigode: além de estar com Aécio, o chapão de Pizzolatti inclui a aliança com as candidaturas de Paulo Bauer a governador, pelo PSDB, e de Paulo Bornhausen ao Senado, pelo PSB.

Eduardo Cunha, deputado federal pelo PMDB-RJ, dispensa maiores apresentações. É o inimigo público nº 1 de Dilma dentro do PMDB e foi o principal articulador do apoio majoritário desse partido, no Rio, ao candidato Aécio Neves.

Sérgio Cabral, governador do Rio de Janeiro, embora publicamente tenha feito declarações favoráveis a Dilma, patrocina a aliança conhecida como "Aezão", ou seja, a adesão dos tucanos à candidatura do governador Pezão (PMDB), que é candidato à reeleição. Em troca, a maior parte do PMDB fluminense garantiu apoio governista à combalida campanha de Aécio naquele estado.

Eduardo Campos (PSB) - também citado na delação -, como é notório, saiu candidato à presidência da República, levou o PSB para a oposição ao governo Dilma, aliou-se a Marina Silva e organizou as dobradinhas com Aécio em vários estados.

A propósito, até o momento, a defesa de Campos tem ficado restrita a alguns membros do PSB. Marina nem mesmo se deu ao trabalho de rechaçar prontamente as denúncias feitas contra uma pessoa de quem ela se dizia firme aliada por uma nova política.

A enigmática frase da candidata - de que "não queremos ver Eduardo morrer duas vezes" - mostrou que, até mesmo em relação a Eduardo Campos, Marina Silva está mais que propensa, de novo, a mudar de ideia.

Uma simples conferida na lista deixa claro que o escândalo foi qualquer coisa, menos  algo feito com o claro propósito de ajudar a campanha de Dilma."

P.S. do Blog: vale sempre ressaltar que, foi a partir do governo Lula e continuou no governo Dilma, que a Polícia Federal e Ministério Público passaram a ter plena liberdade de ação nas investigações. Não existiu nesses governos a figura do "Engavetador Geral da República". Basta conferir o número de ações dos órgaõs federais em comparação com os anos anteriores.
P.S. do Blog (2): todas as acusações devem vir com provas. Independente de que partido for, qualquer nome só deveria ser divulgado depois de comprovações irrefutáveis das autoridades constituídas.

Luciana Genro fala no debate sobre atuação tucana em casos de corrupção e um documentário sobre estranhos aeroportos em Minas

Luciana Genro: “Tão fanático pela corrupção que constrói aeroporto com dinheiro público para beneficiar família”

Mais um Aeroporto: Montezuma interior de Minas Gerais
Luciana Genro chama Aécio para briga e salva debate do marasmo. Dilma agradece e Marina só assiste

por Matheus Pichonelli, em seu blog

"Marina Silva e Dilma Rousseff não se miraram. Com um pé no segundo turno, a candidata do PSB praticamente descansou em campo durante o debate promovido pela CNBB, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. A presidenta, em contrapartida, foi alvo preferencial dos postulantes nanicos. Em uma das ocasiões, pediu direito de resposta para rebater uma fala do tucano Aécio Neves sobre a Petrobras.

Em uma dobradinha com Pastor Everaldo, o senador mineiro usou as suspeitas de irregularidades na estatal, expostas na delação premiada de um ex-diretor da companhia, para dizer, “na casa de Nossa Senhora”, que os valores cristãos devem ser incorporados à vida pública. “A Petrobras é a face mais visível de um governo que abandonou um projeto de País”, afirmou.

Dilma acusou o golpe e teve o pedido de resposta aceito. A petista falou que não tolera corrupção e que as suspeitas são investigadas pelo próprio governo. Como tem feito em sua campanha na TV, ela atribuiu aos governos tucanos uma suposta negligência no combate a desvios e voltou a citar o engavetador-geral da República, como era conhecido o procurador Geraldo Brindeiro, que atuou nos anos FHC.

Na pergunta seguinte, foi Aécio quem se tornou alvo, desta vez de Luciana Genro (PSOL). “O Aécio falando do PT é o sujo falando do mal lavado. O PSDB foi o precursor do mensalão, com seu conterrâneo Eduardo Azeredo, e com a Privataria.”

O tucano reagiu e chamou a candidata de linha auxiliar do PT. Foi quando a conversa engrossou. “Linha auxiliar do PT uma ova. O PT aprendeu com o senhor. O senhor não tem proposta para debater a corrupção. O senhor é tão fanático pela corrupção que constrói aeroporto com dinheiro público para beneficiar a sua família”.

Aécio pediu direito de resposta, chamou a candidata de irresponsável e disse que o povo mineiro tinha orgulho do aeroporto. Pelo Twitter, eleitores lembravam que Aécio corre o risco de ficar em terceiro lugar entre os eleitores do seu Estado, onde seu candidato, Pimenta da Veiga, aparece 20 pontos atrás do petista Fernando Pimentel nas pesquisas de intenção de voto.

Após o bate-boca, Aécio ajeitou a gravata e mudou de assunto. A troca de acusações acabava de fechar o mais tenso debate entre os candidatos, embora uma de suas protagonistas, Marina Silva, tenha sido poupada desta vez.

Ao longo do encontro, a maioria dos postulantes tentou ganhar a plateia com evocações a família e ao direito à vida. Levy Fidelix, do PRTB, chegou a dizer que os meios de comunicação faziam apologia à homofobia e destruíam os valores familiares.

Eduardo Jorge, candidato do PV, e Luciana Genro, destoavam do figurino. O primeiro chamou a lei que criminaliza o aborto de machista e cruel. “Deixa sem assistência cerca de 800 mil mulheres que precisam interromper a gravidez”. Genro, por sua vez, defendeu laicidade do Estado e o casamento igualitário, provocando constrangimento ao apresentador, que apenas agradeceu, de forma protocolar, a resposta. Ela cumpria, dessa maneira, a promessa feita no início do debate: “Não sou religiosa e não vou me converter ao sabor de uma necessidade eleitoral”.

Ao longo do encontro, a maioria dos postulantes tentou ganhar a plateia com evocações a família e ao direito à vida. Levy Fidelix, do PRTB, chegou a dizer que os meios de comunicação faziam apologia à homofobia e destruíam os valores familiares.

PS do Viomundo: Luciana Genro talvez tenha se esquecido de que a dúvida paira sobre dois, não apenas um aeroporto de Minas Gerais. Um em Cláudio, outro em Montezuma. Nas duas cidades, Aécio Neves tem família. Em Montezuma, fica a fazenda que Aécio herdou do pai. Veja no minidoc abaixo:


Marina: possível "atualização" das relações trabalhistas. Dilma: garantia de não mexer com o direito dos trabalhadores

Marina Silva disse ontem que pretende trabalhar para "modernizar" as relaçoes trabalhistas no sentido de atender os novos anseios de trabalhadores e empresários.
Aqui pra nós... sabem quando vai dar para atender ao mesmo tempo essas duas categorias? E aí já sabem quem vai sair no prejuízo. Fácil, fácil. A parte mais fraca.
Quando falam em mexer em relações trabalhistas, CLT, etc. me dá calafrios. Nunca é coisa boa para o trabalhador.
Ainda mais com o time econômico que a Marina se cercou. A mesma do FHC. Quem conhece sabe.
Esse "novo" da candidata a toda hora me cheira a retrocesso.
Neste ponto Dilma foi bem clara hoje.
Cabe a Marina detalhar agora que mudanças são essas que ela quer fazer. Que "modernização" é essa.

Dilma: "Eu não mudo direitos na legislação trabalhista"

Dilma diz que não mexe em 13º e horas extras 'nem que a vaca tussa'
Candidata do PT se reuniu com empresários em Campinas, interior paulista.
Presidente disse que governo não vai mexer em direitos dos trabalhadores.


"Candidata à reeleição, a presidente Dilma Rousseff (PT) disse nesta quarta-feira (17) que o governo não irá mexer em 13º salário, férias e horas extras "nem que a vaca tussa".

A presidente havia sido questionada por jornalistas sobre mudanças na legislação trabalhista após uma reunião na Acic (Associação Comercial e Industrial) de Campinas, no interior de São Paulo.

"Eu não mudo direitos na legislação trabalhista", respondeu a petista, acrescentando que eventual alteração na lei só aconteceria para acompanhar mudanças nas relações de trabalho, mas que direitos do trabalhador não sofreriam impacto.

"Agora, lei de férias, 13º, fundo de garantia, hora extra, isso eu não mudo nem que a vaca tussa, me desculpe a expressão", afirmou.

Pouco antes, a uma plateia formada por cerca de 60 comerciantes, a maioria do setor de varejo, incluindo os setores têxtil e calçadista, Dilma fez diversos elogios à importância da participação dos microempresários na economia e destacou a sanção da lei, no mês passado, que "universaliza" o acesso ao Simples Nacional a partir de 2015.

O programa unifica o pagamento de oito tributos cobrados pela União, estados e municípios das micro e pequenas empresas, e um projeto piloto deverá ser implantado em novembro no Distrito Federal.

Após o evento, Dilma percorreu a rua Treze de Maio, a principal via comercial da cidade, acompanhada por militantes do PT empunhando faixas e bandeiras do partido.

Na praça Rui Barbosa, a petista fez um breve discurso para um público estimado de cerca de mil pessoas, segundo o Corpo de Bombeiros, e de lá iria seguir de volta para Brasília."
Fonte: G1

Do Brasil 247: "Um dia depois de Marina Silva admitir mexer num vespeiro popular e defender a "atualização" da Consolidação das Leis do Trabalho, que assegura direitos dos trabalhadores, a presidente Dilma Rousseff voltou a contestá-la; ao ser questionada por um empresário no interior paulista sobre se poderia alterar pontos como férias e décimo-terceiro, ela não deu margem a dúvidas: "nem que a vaca tussa"; mais um ponto que separa as duas candidatas que lideram as pesquisas eleitorais."

Pequenos conselhos

Recebi esta via email de um amigo.
Parece que trata-se de uma campanha publicitária de um banco(?!) espalhada em outdoors.
Óbvias mas sempre é bom parar para ler, pensar e lembrar do que deve ser lembrado.
Detalhe: apesar do "óbvias" de minha parte, sei que muito dessas "simplicidades" são difíceis de aplicar no dia a dia. 
Boa sorte.
Em tempo: dinheiro não traz felicidade mas paga um hotel desses para você ir com a família... rs.
"Crie filhos em vez de herdeiros."

"Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete."

"Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela."

"Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama."

"Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas."

"Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"

"Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos."

"Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas..."

"...e quem sabe assim você seja promovido a melhor ( amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã.. etc.) do mundo!"

"Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos."

E para terminar: "Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o valor das coisas e não o seu preço." 

16 de setembro de 2014

Pesquisa estranha feita por gente esquisita...

"O Ibope anunciou sua nova pesquisa para as eleições presidenciais. Dilma tem 36%, Marina, 30%, e Aécio, 19%. Na anterior, Dilma tinha 39%, Marina, 31%, e Aécio, 15%. Ou seja, o tucano cresceu quatro pontos, Dilma caiu três e Marina um. Esse resultado contradiz todos os levantamentos que outros institutos têm feito em trackings que são entregues diariamente a candidatos a governos e a partidos. Neles, Marina cai um pouco, Dilma cresce um pouco e Aécio permanece estável. Não importam os números, neste caso, mas a tendência. A tendência do Ibope é diferente. Dilma cai para além da margem de erro, Marina cai na margem e Aécio sobe acima da margem.

Esta pesquisa cai como uma luva no discurso aecista de que o jogo ainda não acabou. O candidato pode com ela voltar a arrecadar, requalificar alianças e buscar convencer seu principal partido de que ele ainda é um candidato viável. Não estou falando do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), mas do Partido da Mídia Tradicional ou do PIG, como preferirem.

Longe deste blogueiro querer insinuar qualquer coisa. Ainda mais contra o Ibope que acerta todas as pesquisas em todos os lugares onde atua. Que o diga o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que em 1985 sentou na cadeira antes do tempo e que ficou acreditando no Ibope até o último segundo mesmo quando na apuração já estava claro que Jânio Quadros seria eleito.

Ou, para pegar um caso mais local, mas também bastante interessante, que o diga a população de Bragança Paulista. Lá o Ibope realizou nos dias 24 e 25 de setembro de 2012, poucos dias antes da eleição. uma pesquisa na cidade encomendada pelo jornal Diário de Bragança, veículo vinculado a um grupo político que tinha interesse naquela eleição. Pelo resultado, que foi  imediatamente parar no do programa eleitoral do candidato e virou jornais a serem distribuídos em todos os cantos da cidade, o candidato que acabou derrotado estava disparado na frente com 37%. E o candidato do  PT, Fernão Dias, que acabou eleito, tinha apenas 23%. Uma diferença de 14 pontos que a cidade inteira não acreditava existir. Mas que o Ibope cravou como o retrato daquele momento.

Pesquisas erram, pesquisas acertam. Isso é parte integrante de qualquer trabalho. Mas eu só quero dizer uma coisa, esse Ibope está muito esquisito."
Por Renato Rovai em seu Blog


P.S. deste blog: a figura acima não faz parte do post original, bem como o título foi modificado (me lembrei de uma música do Legião Urbana). O original é "Eu só quero dizer uma coisa: essa pequisa Ibope está muito esquisita…".