20 de setembro de 2013

O assunto é música: LPs raros digitalizados e disponibilizados


Uma boa atividade-passatempo para este fim de semana, para os amantes musicais (quer dizer, amantes da boa música e colecionadores). Acima dos 50.

Seguindo o Princípio de Jack, vamos por partes.


1 - Pode parecer inacreditável, mas houve um tempo não muito distante em que não existia Internet, mp3, CDs, tocadores portáteis, smartphones, pen-drivers, etc. Existiam os LPs, Fitas K7 e Rádio AM.
Para a maioria os LPs eram muito caros e a saída era buscar custo-benefício. Comprar LPs que oferecessem mais músicas, com mais sucessos, de diversos artistas.
O mercado então apostou nas coletâneas. Havia gravadoras especializadas nisso, como a K-tel, que não deve existir mais há muito tempo. Aliás era a campeão em conseguir colocar até 20(!) hits (sucessos musicais) em um único LP. Vendia muito.
Outras boas coletâneas (que existem até hoje em forma de CD) eram as trilhas das novelas. Mas existiam muitas outras séries de gravadoras diferentes: "Saudade Não Tem Idade", "Sua Paz Mundial" (Mundial era uma emissora AM de imenso sucesso), "As 14 Mais", "Music Master", "Hit Machine", etc. etc.

2 - Esses discos marcaram a juventude de muita gente, hoje na faixa etária dos 50 anos. Com o tempo se perderam e nunca chegaram a ser relançados em CD. Muitas músicas desapareceram e não se encontram nem para comprar de forma avulsa na Internet. Isso quando se lembra o nome do artista ou da música.

3 - Eu tinha muitos desses LPs que perdi em um ataque já relatado aqui diversas vezes. Seres alienígenas em forma de cupins destruíram em menos de uma semana cerca de dois mil dos meus LPs. Até hoje frequento psicoterapia tentando me livrar do trauma. Tenho medo de um novo ataque alienígena que vai destruir minhas roupas, aparelhos de som, móveis e o resto de minha coleção, mas dessa vez incluirão também CDs, DVDs, Blu-Rays, games, livros, etc.

4 - Não houve iniciativa oficial ou privada (com caixa externa, preferencialmente) até hoje que tenha relançado no mercado essas preciosidades.

5 - Luz no fim do túnel: gente que pode ser tachada (atenção: é com "ch" e não com "x") de louca, mas que são verdadeiros anjos. Simplesmente pegam sua coleção e vão digitalizando e disponibilizando na Internet (sem envolver nenhum elemento financeiro) para os órfãos que perderam seus discos e parte de sua memória afetiva.
E, garanto, não é fácil. Exige conhecimento, dedicação, tempo e boa vontade.

6 - Esta semana descobri um blog que é o melhor até agora dos quais já visitei. O abnegado digitaliza, filtra, refaz capas, equaliza, coloca tags e ilustrações em cada disco e em cada música, etc. etc.
Lá encontrei muitos dos discos Pop/Rock que perdi e de quebra aquela memória que falei.

5 - O endereço? Está aqui ao lado direito do blog, nas Sugestões. É o Só Música.
Uma dica: para fazer o download, olhe nos comentários de cada post. Ali tem o endereço e eventualmente uma senha. 
E precisa de um programa descompactador para usar depois de baixar. Tudo simples.
Acho que a psicoterapeuta vai me dar alta!



7 comentários:

Alice in Wonderland disse...

Que post legal! Adorei o texto, o toca-discos e a dica. Show!

Anônimo disse...

Ja to baixando.

Jefferson disse...

Quanta raridade! Saudades dos tempos em que nos reuníamos para ouvir LPs na casa de alguém ou nas lojas de discos. Tudo isso acabou. Nostalgia.

Anônimo disse...

Uma amiga minha ta com saudade do Pepino di Capri kkkkk

Anônimo disse...

Pepino di Capri... Champagne, Roberta... Bons tempos românticos.

Edgar Wogelmann disse...

como faço para o download do disco? abraços edgar.

Marcos Oliveira disse...

Edgar, clique no link indicado e em cada disco postado vá na seção "Comentários". Ali tem o link.