30 de novembro de 2014

Bye Bye, So Long, Farewell

 
"Quando entra dezembro...". Epa! Estou forçando a barra. A canção do Beto Guedes fala em "setembro" e não "dezembro", que na verdade começa amanhã.
Detalhes. Que não é aquela romântica do Roberto. O fato é que foi bom repostar ontem o artigo publicado pelo Felipe Muniz tempos atrás sobre a não percepção da passagem do tempo. É que estou nessa: se não fossem a Copa e as eleições, nem perceberia que 2014 passou feito rajada de vento em chegada de frente fria. Como será 2015?
E vamos em frente que atrás vem gente. A Copa foi um sucesso, apesar dos "não vai ter Copa" e a Dilma ganhou, apesar da descontrução da mídia por anos a fio. E que vai continuar. Interesses inconfessáveis. De nossa parte o orgulho de termos participado, humildemente, de sua eleição em 2010 e da reeleição neste ano.
E assim tem sido o blog desde 2009. Ou 2008, se considerarmos o período que estava em outro endereço. Foi quando o Felipe me convidou para complementá-lo nesta empreitada que teve muitos desafios neste passar dos anos. E eu agradeço a ele, apesar da relutância em aceitar, na época.
Dois desconhecidos dos meandros jornalísticos (não jornalistas) e do universo da Internet conseguiram manter vivo o ideal de abordar temas tão distantes como meio-ambiente, música, musas, política, humor, curiosidades, dicas de bem viver, etc.
Uma mistura que era para sobreviver uns dois meses chega ao sexto ano com mais de oitocentos mil acessos. Quer dizer, mais do que isso. É que o contador que colocamos aqui do "lado de fora" do blog não mede alguns tipos de acesso. Até hoje não entendi muito bem, mas o contador interno oficial do Blogger indica  como "Histórico de todas as visualizações de página", um número acima de um milhão e meio de visitas! Nada mal para dois amadores que não tem tempo livre para se dedicar a este espaço como gostaríamos.
Neste momento agradecemos a esses visitantes que não conhecemos (Ok, alguns são amigos de longa data) e que pouco se expressaram ao longo deste tempo, mas que dão sempre uma olhadinha diária por aqui, sabemos disso.
Ao longo deste período, cerca de 5.600 posts foram publicados (daria alguns livros) o que garante uma visita contínua mesmo se pararmos de publicar qualquer coisa nova agora. Explicando melhor: muitos acessos são de pesquisa por assunto no Google que muitas vezes, entre as opções, indica o post específico no blog.
Se vocês perceberam que este post começa a soar como uma balanço de despedida, acertaram. De minha parte, não do Luiz Felipe. Acho que ele vai tentar manter na medida do possível o blog vivo e rezo para que consiga continuar com essa conquista.
Vou lhes dar o prazer de minha ausência por conta da mesma reclamação de sempre: como escrever posts realmente interessantes para um público eclético se mal temos tempo de "copiar e colar" o que outros escrevem?
Se não podemos manter um alto nível por nossa conta e começamos  a ficar estressados com isso, é melhor parar. E essa história eu já conheço. Foi por este mesmo motivo que parei de publicar o Jornal Metamúsica há 14 anos, depois de 5 lutando para mantê-lo vivo. Mesmo com o sucesso do mesmo foi impossível para mim continuar com a empreitada.
Há outros motivos também, mas esses não vem ao caso. Entre eles não está a minha grande amizade e apreço pelo titular do blog, que permanece inabalável. Já lhe falei: seria bom arranjar um substituto para este escriba, gente muito melhor não falta. Desde que também seja amigo e pense de forma semelhante.
Não posso afirmar se esta é uma despedida definitiva. Se houver chance, quem sabe retorno. Mas fica mais uma vez o apreço por todos (até por aqueles que nos odiaram por nossa opção política) e um agradecimento especial ao Luiz Felipe Muniz, guru alguns degraus evolutivos acima deste colaborador.
E chega de explicações. É só que achei que nossos 17 leitores merecem um esclarecimento. E lhes dou o direito de comemorar. Ou ficar indiferentes.
Acredito que vou desaparecer um pouco também das redes sociais. Ficar mais no mundo real.
Mas fica a gratidão de minha parte.
Em tempo: que imagens são essas que ilustram este post? É mais um exemplo do que me incomoda. Há tempos quero fazer um post sobre alguns CDs que tenho importado de uma gravadora alemã, relacionando sua música de difícil classificação com as capas que eles escolhem. Mas não tive tempo. Bem pelo menos as belas capas com fotografias instigantes ficam registradas.
E como nosso blog sempre foi musical, encerro minha participação com uma bela canção do eterno Pink Floyd, "Wish You Were Here".
E, como dizia o Guilherme Arantes na música "Pedacinhos": "Adeus também foi feito prá se dizer... bye bye, so long, farewell... (...afinal a gente sofre de teimoso, quando esquece do prazer)".
Abraços e obrigado!

P.S.: O post acima eu escrevi ontem e programei para sair hoje, domingo. Só que ontem mesmo - em uma mesa de bar com algumas cervejas que ninguém é de ferro - conversei muito com o amigo Luiz Felipe e daí surgiu a ideia de algumas mudanças no blog para 2015 (ou ainda este ano). 
Diante desses fatos novos, que não cabe ainda detalhar aqui, este post poderá ser apenas um até logo com possível retorno após recesso para um bom descanso. Veremos... De qualquer forma resolvi manter o texto original. Vai que sai o artigo sobre essas capas...



A capa do disco do Pink Floyd: 40 anos depois, ainda emblemática

20 comentários:

Lígia do Chico, do Tom e do Vinícius disse...

Poxa logo cedo no domingo chuvoso leio uma notícia dessa! Seu texto ótimo, sempre encantador, mas as novidades é que não gostei. Eu ando também enjoada de Internet e sem tempo e este blog é o único que nunca deixei de acompanhar. E é a primeira vez que escrevo aqui. Já tive blog por pouco tempo. Sei que é complicado. Mas escrever está no seu sangue Marcos, exteriorizar emoções ainda que nas entrelinhas, e este blog é diferente por causa disso e da sua parceria com o Luiz Felipe,que é uma coisa rara, e por ser tão eclético. Ao final você me dá uma esperança de continuar. Espero que a conversa no bar tenha sido proveitosa. O ambiente ajuda, rsrs. Tomara, porque senão também vou desistir desta ferramenta que é ótima mas nos escraviza também. Além de expor muito quem escreve.
Mas não imaginas como tem gente que gosta quando você escreve suas crônicas e seleciona aquelas músicas. Só não gosto das musas, mas entendo.
Parabéns pelo que realizaram até agora e não desistam!
Beijos.

Alice in Wonderland disse...

Oi! Faço minhas as palavras da Lígia. Vou ficar órfã se o blog parar. Sei das dificuldades mas vale a pena pelos resultados. E já estou com saudades dos pitacos políticos, das ironias e da sensibilidade. Dê uma parada e volte mais devagar, mas não pare totalmente.
Bjs.

Jefferson disse...

Ei! Não nos abandone Marquinhos. Agora quero ler o artigo sobre as músicas que estão contidas nessas capas lindas.
Não deixe repetir o abandono do Metamúsica!
Brincadeira. Sei que é muita pressão. Dê uma parada amigo. Se cuida. Um dia você volta. Abração.

J.O.S.I. disse...

HEY YOU...!
THANK YOU!

Anônimo disse...

Parabéns aos dois blogueiros e torço para que continuem com este importante trabalho que teve seu ápice nos períodos eleitorais contra a grande mídia.

Marcos Oliveira disse...

Agrademos à Lígia, Alice, Jefferson, Josi e ao Anônimo que comentaram o post.
Muitas vezes uma simples frase de incentivo é mais positiva que mil acessos ao blog.
Como disse, tudo muda e nada é irreversível.
Tudo se transforma e tudo volta, de uma forma ou de outra.
Segue o Felipe, quem sabe no futuro estaremos aqui de novo.
Deus abençoe a todos. E a este país.

Marcio Maciel Andrade disse...

Valeu Marquinhos até breve

Marcos Oliveira disse...

Obrigado Márcio! Um grande abraço e até breve!

Marina disse...

Você é sensacional, pai!!

Marcos Oliveira disse...

Obrigado pela força Princesa! Estamos juntos nesse caminhar. Sempre em frente! Bjs.

Marcos Oliveira disse...

Recebi o e-mail a seguir de uma amigo que não vou identificar porque ele mesmo já indica no texto que não gosta de se manifestar em blogs.
Reproduzo apenas parte do texto e resolvi fazer isso para agradecer a ele e através dele as pessoas que sempre olham nosso blog mas optam por não fazer comentários. Esses são a maioria, e que fizeram com que este espaço chegasse ao número de acessos que chegou até este momento.
Valeu amigo!

"Olá amigo!
Estou aqui, neste espaço restrito, pois não curto "postar" comentários ou observações em blogs. Você já percebeu isto.
Bem, não posso esconder minha tristeza em saber que estará, muito em breve, deixando de colaborar (magistralmente, diga -se de passagem) no blog.
Assim como esse fim de semana, cheio de cores, sabores e texturas tão acinzentadas para mim, recebo mais esse outro dissabor.
(...)
Bem, retornando ao blog, você deve ter suas razões, terei que compreendê-las. Mas, lamentarei muito a sua saída. Sempre que abro o micro, procuro dar uma olhada no blog. Aprendi muito com seu conteúdo. Sentirei muitas saudades do seu jeito de escrever e comentar. Também das dicas musicais etc.
Não vou me alongar mais.
Grande abraço.
Que Deus o abençoe e o ilumine, sempre!"

Luiz Felipe Muniz disse...

Sim, faltava o meu breve comentário por aqui, ontem fiz um relativamente longo pelo iPhone, mas não consegui publicar rsrsrs...perdi tudo...coisas da internet...

O sentimento, Marquinhos, não é de perda, pois percorremos uma boa trilha, uma boa causa, uma deliciosa receita para os tempos pós-modernos com se diz por aí...nós dois fomos além do possível, você ainda mais, neste singelo blog, diga-se de passagem, que jamais foi imaginado para o stress ou a fadiga!

Nós o pensamos e o desejamos lúdico, forte, intenso e apaixonante sim!

Temos opinião formada e nunca pretendemos dar conta da alienação coletiva, ainda que os tempos da internet nos permitia saborear desta transparência virtual como algo mágico e poderoso no inconsciente coletivo de nosso tempo!

As transformações radicais pelas quais passamos todos no planeta, e em particular no Brasil, ainda irão transmutar fortemente por todos os contextos que conhecemos e outros tantos desconhecidos...e era neste particular nicho de coisas do absurdo e do simples que sempre tivemos a pretensão de transitar...daí as nossas belíssimas musas, nossos universos maravilhosos da música, dos lugares incomuns, dos pensares complexos e das discussões sem fim da luta de classes sociais por aqui!

Você, meu amigo Marcos, soube, no malabarismo arriscado de nossos contextos, imprimir ritmo e desafiar compreensões consolidadas, ao mesmo tempo que envolvia os espaços do blog com poesia obstinada a tirar de pedra as gotas sagradas de uma sabedoria comum à própria humanidade oculta em todos, merecido descanso, merecido reconhecimento de todos nós...

Como eu disse antes, este Blog não nasceu para ser tirano!

Esta dimensão da compreensão da atualidade das coisas no mundo de alguns(e do hoje), os blog's, merecem trato e cuidados muito especiais para não colapsar diante da torpeza que impera...diante do fascínio da exposição que escraviza!

Há de haver outras propostas de sobrevivência pacífica entre o "eu" que evolui e requer preservação de sua própria natureza nata e construida pelas forças e dores da busca pessoal; e aquilo que poderíamos chamar de mundo ou o "não eu", os demais coabitantes desta jornada planetária no campo das ideias e dos deleites pós-revoluções e guerras de todos os matizes.

Bom, é um pouco com tudo isso que findo o brevíssimo comentário que não dará conta da ausência do magnífico Marcos Cardozo do nosso Blog.

Eu me classifico como um pessimista sempre otimista, e vejo nos pequenos sinais os sentidos para lutar por melhores tempos e pelo prosseguir da Humanidade débil rumo a uma evolução mais afinada com os nossos limites enquanto espécie...o Blog foi originalmente pensado também assim, somente um pouco de tempo nos dirá o quanto seremos capazes de superar os obstáculos atuais para enfrentar as exigências evolutivas!

Valeu minha gente, valeu Cardozo, fiquem em paz e sigamos...estaremos por aí...

Luiz Felipe Muniz de Souza

Maria Inês disse...

Belíssimo comentário Luiz Felipe. Indispensáveis palavras neste momento.
Beijo ao Marcos e obrigada.

Marcos Oliveira disse...

Obrigado Maria Inês. Tudo de bom para você.

Luiz Felipe: sem falsa modéstia, me acho longe de merecer tais considerações mas fico lisonjeado com as palavras.

Suas instigantes reflexões acerca do "nosso eu", do nosso blog e do momento atual são incontestáveis e merecem atenção especial de todos os nossos estimados leitores.

E, relembrando e questionando a Contracultura: como mudar o mundo se nem sempre temos a dimensão ou capacidade de entender e administrar nossos próprios desafios em todas as frentes? Como uma teia, enredados em diversas situações por vezes surpreendentes, vamos seguindo pelas "armadilhas" do tempo atual, do destino, da evolução ou seja lá o que for.

De qualquer forma, queiramos ou não, estamos integrados à tudo que nos rodeia. E não há como "escapar" disso.

Só tenho a agradecer a oportunidade - foi realmente um prazer - e torcer para que possamos em breve retomar juntos, de alguma forma, esta parceria que rendeu vitórias e bons frutos, embora nem todos colhidos a tempo e a hora como gostaríamos. Mas, "faz parte...".

Abraço fraterno e sigamos em frente.

Junior disse...

Parabéns aos dois blogueiros pela realização, obrigado e boa sorte.

Dacia Oliveira disse...

A partir de fascinantes histórias reais, que foram postadas ao longo desses anos, saiba que você sempre surpreendeu(Os 17 leitores)com simplicidade e ao mesmo tempo com muita intensidade. Parabéns!! Bom descanso e um breve retorno!

Marcos Oliveira disse...

Valeu Júnior.

E obrigado Dácia pelas palavras de carinho, elogios e incentivo. Bjs.

Anônimo disse...

Como outros 16 leitores, torço para que seja um até breve! Fique em paz, fique bem e volte logo!
Grande abraço,
Luiza Botelho

Marcos Oliveira disse...

Ok Luiza.
Obrigado!

Marcos Oliveira disse...

Esperamos poder voltar em breve!