26 de agosto de 2011

Second Love, Ashley Madison e Ohhtel: O mercado internacional da traição descobriu o Brasil

Antes de mais nada já vou registrando os endereços para os curiosos. É só clicar:
Second Love
Ashley Madison
Ohhtel
Feito isso vamos às nossas singelas observações.
Com tantas "novidades" (é entre aspas mesmo) a expectativa é de que não vamos mais ser surpreendidos por nada in this world.
Mas... aí nos deparamos com a reportagem reproduzida abaixo. Não é fake.
A questão não é nem a existência disso (óbvio) mas a forma aberta como a coisa é feita, com marketing pesado em cima.
Ou seja, deixou de ser assunto de "debaixo do tapete", para estar em outdoors, revistas e TV. Com altíssimo incentivo!
O motivo é claro: além do amplo interesse, rola muita grana no negócio que, afinal de contas, não é ilegal. Vão até colocar na Bolsa de Valores!
Questões morais e éticas são cuidados por outros departamentos - que costumam se adaptar aos novos tempos, diga-se de passagem...


Sites para casos e traição investem no país e já reúnem mais de 370 mil
Três serviços estrangeiros chegaram ao país nos últimos 2 meses.

"O mercado internacional da traição descobriu o Brasil. Nos últimos dois meses, três sites internacionais especializados em relações extraconjugais abriram seus serviços no país. Juntas, a canadense Ashley Madison, a americana Ohhtel e a holandesa Second Love contam com cerca de 12 milhões de usuários ao redor do mundo e já reúnem mais de 370 mil pessoas no Brasil.

O grande atrativo dessas redes sociais é a facilidade de se conseguir uma "pulada de cerca" de forma rápida e discreta. Mas, se dentro dos sites a discrição é a chave do negócio, fora do ambiente virtual as empresas têm promovido estratégias bem barulhentas para divulgar seus serviços e apostam alto na libido e na infidelidade dos brasileiros.

A Ashley Madison, por exemplo, investiu cerca de US$ 2,5 milhões (o equivalente a R$ 4 milhões) no lançamento de sua página no Brasil e prevê gastar até o fim do ano pelo menos outros R$ 3,5 milhões em marketing.

Criado há 10 anos no Canadá, o site é a maior rede de relacionamento extraconjugal do mundo, com presença em 15 países e mais de 10 milhões de usuários inscritos. O slogan é direto e dispensa metáforas: "A vida é curta. Curta um caso".

No país, o site entrou no ar na primeira semana de agosto e já bateu o recorde mundial da empresa para um lançamento. Até a última terça-feira (23), a empresa contabilizava 107 mil cadastros de brasileiros, que já gastaram no site cerca de R$ 1,7 milhão. Mais de 22 mil inscrições foram feitas em pleno domingo do Dia dos Pais, data em que a empresa publicou seu primeiro anúncio em um jornal de grande circulação.

“O lançamento do Brasil nos surpreendeu. A nossa previsão era atingir 500 mil usuários em um ano, agora estamos ampliando para 1 milhão”, afirmou em entrevista ao G1 a diretora do Ashley Madison Brasil, a indiana Jas Kaur. Segundo ela, a empresa está preparando um jingle para rádio e negocia com as emissoras de televisão inserções em intervalos comerciais.

"A gente quer gastar dinheiro aqui. Acreditamos que o Brasil será nosso segundo maior mercado já em 2012, só ficando atrás dos Estados Unidos”, acrescenta a executiva. Ela afirma que a empresa estuda abrir um escritório no país e que entre os planos em estudo está até abrir capital na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

(...) O primeiro outdoor do site Ohhtel foi instalado nesta quarta-feira na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e promete abrir polêmica. Ao lado da imagem do Cristo Redentor, a publicidade exibe a mensagem: “Tenha um caso agora. Arrependa-se depois”.

A empresa afirma que comprou os direitos de uso da imagem do símbolo religioso "para propósitos de publicidade” e que o objetivo foi usar “a melhor imagem que representa a Cidade Maravilhosa” para falar com o público carioca.

“Muitas pessoas pensam que São Paulo é mais conservadora que o Rio de Janeiro, mas nossos registros contam uma história diferente. Temos mais de 57 mil paulistas usando nossos serviços e, por outro lado, temos apenas 30 mil pessoas do Rio. Achamos que podemos atingir 100 mil membros no Rio rapidamente”, diz Lais.
(...)
100% gratuito para mulheres
O serviço desses sites é 100% gratuito para mulheres. Se no mundo real a tradição reservou aos homens o papel de pagar a bebida ou a conta, nestes sites os homens têm que pagar para mandar mensagens para os seus alvos e utilizar outras funcionalidades como sala de bate-papo, acesso a galeria de fotos e envio de presentes. No Second Love, a mensalidade custa a partir de R$ 29,90. No Ashley e no Ohhtel o modelo se baseia na venda de créditos. Os pacotes mínimos custam, respectivamente, R$ 49 e R$ 60.

Segundo a executiva do Ohhtel, os dados dos brasileiros cadastrados no site mostram que as mulheres traem tanto quanto os homens. “O brasileiro trai muito e mais do que a média mundial. Numa pesquisa que fizemos, 65% dos usuários responderam que tiveram pelo menos 5 casos extraconjugais. Nos outros países, 70% dos usuários afirmam já ter tido entre um e três casos”, afirma Lais.

"Na nossa cultura nós aprendemos que adultério é imoral. O que nós estamos dizendo que não é tão simples assim", afirma a executiva. "O casamento é mais do que apenas sexo. Trata-se de amor, filhos, finanças e, para os católicos, uma instituição. Então para não acabar com o casamento ou viver o resto de sua vida sem sexo existe uma terceira opção que é ter um caso discreto".

Jas Kaur, do Ashley Madison, reconhece que esse tipo de serviço facilita a prática da infidelidade, mas destaca que a traição existe desde o começo dos tempos e lembra que o adultério saiu do Código Penal em 2005 e desde então deixou de ser motivo de prisão no país.

"É a mesma coisa que um motel. Vai quem quer. O que a gente está dizendo é: 'Se vai fazer, faça direito. Seja discreto, não vá tirar a aliança, ir a um bar e pegar uma pessoa inocente para depois ter cobrança e consequências indesejáveis", afirma a diretora do site."

Leiam mais aqui: G1

14 comentários:

Denise D+ disse...

Noooossa!
Não acredito!
Eles inventam tudo para faturar.
Mas tem consumidores para esse serviço.

Anônimo disse...

Me inscrevi nesse site e agora estou sendo lesado, pois uma vez armazenado o número se seu cartão de crédito há uma série de serviços que são cobrados, mas não esta claramente exposto que vc será debitado e quanto, no seu cartão de crédito. Liquei para o 0-800-892-2096, que é um número no Brasil, e a atendente foi mal educada e me disse que não e necessário seguir a legislação brasileira, pois o site esta no Canada. Resultado, perdi 100 reais de uma empresa que faz campanha publicitária no Brasil, tem atendente Brasileira, tem escritório no Brasil, mas eles nao revelam o endereço e também tem departamento jurídico no Brasil, como a atendente me revelou, para se vc reclamar como a operadora do seu cartão eles tem toda uma estrutura jurídica para garantir que vc nao possa reaver os valores debitados em seu cartão. Não forneçam seu cartão o serão enganados e lesados propositalmente como eu!

Anônimo disse...

O site Ashley Madison lesa mesmo os seus usuários.

O site não deixar claro as opções. Não contém a opção "cancelar" compra, cobrança e pagamento automáticos. É uma verdadeira usurpação. Uma vergonha....

Anônimo disse...

TUDO FAKE.

CUIDADO !

Anônimo disse...

Ohhtel tem gerador automatico de mensagens, e' uma fraude .

Anônimo disse...

Eu tbm estou sendo lesado... Já pedi cancelamento mas não aceitam, a nao ser q pague 19 dolares!!! pra cancelar. Empresa de bandidos, pois 90% é fake e 10% são prostitutas... pior: andam cobrando mensalidades de forma camuflada, abreviando o nome da empresa... pode? É crime contra o consumo, afinal a empresa está no Brasil, não importando se a sede fica no Canadá...

Anônimo disse...

continuando...: existe uma reclamação pesada no site - Reclame Aqui - é ó digitar o nome da dita cuja (ashley madson)... é caso de polícia, deveria ser acionado o Ministério Público Federal - pois a dita cuja possui sede no Canadá e está lesando os brasileiros... tem a cara de pau de dizer que tem filial no Brasil...

mp117789 disse...

Ae galera... o site não é fake totalmente não.... é só tomar alguns cuidados para usar que ele funciona sim. Dá uma lida aqui para vcs entenderem como eu uso sem ter problemas: http://mp117789.wordpress.com

Anônimo disse...

Bem, infelizmente irei engrossar o coro dos comentaristas que postaram suas experiências malfadadas com o Ashley Madison, resguardadas as interessantes dicas dadas pelo mp117789. Realmente, trata-se de um site de má fé, pois induz o usuário a uma série de tarifações "automáticas", escondidas em formulários extensos e confusos. As opções já ficam marcadas, e se você não for praticamente um ninja, para detectá-las, certamente terá um infarto do miocárdio ao ler sua próxima fatura do cartão. No meu caso, fui vitimado por uma tal de 'cobrança automática de renovação de créditos'. O PayPal estornou o valor, mas o AshleyMadison bloqueou minha conta, por conta dessa contestação que fiz. Segundo eles, minha conta só será desbloqueada se eu fizer uma nova compra de créditos, no valor mínimo de 30 dólares! Um descalabro! Já li casos onde os usuários foram taxados para excluir a conta. Em minhas andanças pelo site, descobri várias prostitutas, perfis masculinos travestidos de mulher, e usuários que aparentemente são bots (robôs feitos para aumentar o contingente de usuários). Assim, fica fácil para os empresários do site anunciarem não-sei-quantos milhões de usuários, não acham? Resumindo: CORRE, QUE É CILADA! Mais vale usar o bom e velho chat, do que perder dinheiro nessa tranqueira mal intencionada!

Anônimo disse...

Se qualquer um der uma boa lida nos termos do serviço que está no site vai ver que eles mesmos informam que SIM, existem usuários falsos, perfis que mandam e respondem mensagens automaticamente. A empresa dá uma desculpa esfarrapada para isso e o usuário concorda com isso ao iniciar o serviço.
É um verdadeiro abuso!

Carlos disse...

Mas não é uma grande contradição reclamar de enganação nestes casos?
É apenas uma prova de que eles entendem do assunto: Enganar seus parceiros.

Claudinei Castro disse...

O ashley madison é a vingança de quem deveria estar sendo traído.. kkk

CatGames BR disse...

Vcs entram em um site desse nível e passam o número do cartão de crédito? Kkkk vão lesar vcs mesmo, pois sabem que não irão reclamar na justiça senão as mulheres de vcs ficarão sabendo kkk q roubada. Eu me cadastro nesse lixo de site e não consigo deletar a minha conta, não prestei atenção, não sabia q era site de putaria...

Anônimo disse...

Dica para excluir a conta! muitas vezes a opção excluir conta não está disponível.. ponhe uma foto ridícula zoada! Ponhe meus interesses...98% do site fake.. E salve.. Não deu 5 minutos eles excluíram minha conta..